31 agosto 2013

A eterna cantora: Cássia Eller

Mudaram as estações 
nada mudou
Mas eu sei que alguma coisa aconteceu
Tá tudo assim, tão diferente

Se lembra quando a gente 
chegou um dia a acreditar
Que tudo era pra sempre 
sem saber 
que o pra sempre 
sempre acaba...
Filha de um sargento pára-quedista do Exército e de uma dona-de-casa, seu nome foi sugerido pela avó, devota de Santa Rita de Cássia.
Nascida no Rio de Janeiro, aos 6 anos mudou-se com a família para Belo Horizonte. Aos 10, foi para Santarém, no Pará. Aos 12 anos, voltou para o Rio. O interesse pela música começou aos 14 anos, quando ganhou um violão de presente. Tocava principalmente músicas dos Beatles. Aos 18, chegou a Brasília, para onde sua família se mudou. Ali, cantou em coral, fez testes para musicais, trabalhou em duas óperas como corista, além de se apresentar como cantora de um grupo de forró. Também fez parte, durante um ano, do primeiro trio elétrico de Brasília, denominado Massa Real, e tocou surdo em um grupo de samba. Trabalhou em vários bares (como o Bom Demais), cantando e tocando. Despontou no mundo artístico em 1981, ao participar de um espetáculo de Oswaldo Montenegro.
Um ano mais tarde, aos 19 anos, querendo sua liberdade pessoal, foi para Belo Horizonte atrás de um lugar para morar e um emprego, onde conseguiu assim que chegou, e passou a trabalhar como servente de pedreiro. "Fiz massa e assentei tijolos", contava. Lá, alugou um pequeno quarto, onde ficou vivendo. Na escola, não chegou a terminar o ensino médio, por causa dos shows que fazia, cada dia num turno diferente, não tinha horário para se dedicar ao estudos.
A voz grave de trovão e o ecletismo musical sempre foram características marcantes na música de Cássia Eller. A cantora também tinha uma personalidade forte, mas como bem lembrou sua amiga e percussionista Lanlan, Cássia era um doce de pessoa fora dos palcos.
Em 1990, a cantora carioca radicada em Brasília (DF) chamou atenção da crítica e público, principalmente, por meio de uma regravação de Por Enquanto, um lado B da Legião Urbana – banda da qual era fã declarada.
Durante mais de uma década, Cássia brindou o público brasileiro com interpretações marcantes para artistas de vários gêneros e épocas, como Cazuza e Barão Vermelho, Caetano Veloso, Chico Buarque, Jimi Hendrix, Rita Lee, Beatles e até Nirvana.
Entre os principais sucessos, estão discos memoráveis como O Marginal (1992), Veneno AntiMonotonia (1997), Com Você... Meu Mundo Ficaria Completo (2001) e Acústico MTV (2001).
Porém, no dia 29 de dezembro de 2001, Cássia faleceu aos 39 anos, no auge da carreira, em razão de um infarto do miocárdio.
Homossexual assumida, a compositora morava com a parceira Maria Eugênia Vieira Martins, com a qual criava o filho Francisco (chamado carinhosamente de Chicão).
Cássia teve seu filho com o baixista Tavinho Fialho, que faleceu em um acidente automobilístico meses antes do nascimento de Francisco. Maria ficou responsável pela criação do menino após a morte da companheira. Hoje, aos 19 anos, Chicão Eller segue os passos artísticos da mãe como cantor e percussionista da banda Zarapatéu.
Cássia Eller nunca escondeu que era usuária de drogas. Sua preferida era a cocaína, que consumiu durante mais de dez anos. Numa de suas últimas entrevistas, concedida à revista IstoÉ Gente menos de duas semanas antes de sua morte, a cantora abordou o assunto. "Eu cheirava muita cocaína. Parei total, graças a Deus. Fiquei um tempo sem beber também, e isso me fez bem. Não foi nem exatamente por causa do Chicão que parei, meu corpo não estava mais aguentando. Durante a gravidez parei porque, milagrosamente, enjoei de cigarro, café, maconha, de tudo. Cocaína, então, lógico. Não ia fazer uma coisa dessas. Aí o Chicão nasceu, amamentei e depois caí de novo na farra." Cássia contou também que resolveu largar o vício apenas em 1999, quando entrou num spa para desintoxicação. "Naquela época, eu embalava três dias seguidos. Meu corpo não estava aguentando mais." A cantora saiu da clínica pensando estar livre da cocaína. Disse na mesma entrevista que se considerava curada da dependência da droga e que seu único vício, agora, era o álcool. "Eu gosto de birita", declarou, ignorando que um dependente químico não pode beber. Embora tímida, sempre foi franca. Achava que havia muita hipocrisia no meio musical em relação ao assunto drogas. A substituta de Rita Lee no papel de roqueira número 1 do Brasil considerava que os artistas deveriam tratar do assunto sem falsidades nem tabus. Bem no alvo. Mortes por overdose de artistas nos Estados Unidos e na Inglaterra são seguidas de discussões honestas sobre seu estilo de vida. Ninguém tenta esconder as circunstâncias das mortes, e os exemplos são freqüentemente citados pelos próprios artistas como alerta para o fato de que as drogas realmente matam. Grandes astros da música pop morreram por consumo excessivo de drogas. Jimi Hendrix, o maior guitarrista da história do rock, intoxicou-se com uma mistura de barbitúricos e álcool, em 1970. A cantora Janis Joplin, um dos modelos de Cássia Eller, morreu de overdose de heroína, mais ou menos na mesma época em que Hendrix teve sua carreira encerrada precocemente.
Cássia Eller sempre teve uma presença de palco bastante intensa, assumia a preferência por álbuns gravados ao vivo e ela era convidada constantemente para participações especiais e interpretações sob encomenda, singulares, personalizadas.

Albert Fish, o serial killer canibal

Albert Hamilton Fish (19 de Maio de 1870 – 16 de Janeiro de 1936) foi um pedófilo sado-masoquista, serial killer e canibal. É também conhecido como Gray Man, Werewolf of Wysteria (Lobisomem de Wysteria), the Brooklyn Vampire (Vampiro de Brooklyn) e The Bogeyman (Papão). Fish gabou-se de ter “tido crianças em cada estado” e afirmou que molestou cerca de cem crianças. Durante a sua vida foi apenas suspeito de cinco mortes. Fish confessou três homicídios e ter atacado duas outras pessoas. Foi também julgado pelo rapto e assassinato de Grace Budd. Fish foi condenado à cadeira eléctrica.
Albert Fish nasceu em Washington em 1870. O seu pai tinha quarenta e três anos a mais que sua mãe e vários membros da sua família tinham doenças mentais, sendo que possuía um tio que sofria de fixações religiosas.
Quando Fish tinha 5 anos, seu pai sofreu um ataque cardíaco e a mãe deixou-o num orfanato. No orfanato ele era frequentemente agredido. Fish descobriu que gostava da dor física e começou a ter erecções quando era agredido, o que o influenciou a gostar do sadomasoquismo. Aos 7 anos sua mãe o tirou de lá porque havia conseguido um emprego.
Aos 9 ele caiu de uma cerejeira e machucou-se seriamente na cabeça, o que mais tarde causara dores de cabeça e pequenos problemas mentais (é muito comum acontecer isso entre os assassinos em série na infância).
Em 1882, aos 12 anos, Fish começou uma relação homossexual com um rapaz que trabalhava no telégrafo, que o incentivou a beber urina e a praticar coprofagia. Fish começou a visitar casas-de-banho públicas onde observava rapazes a despirem-se e aí passava grande parte dos seus fins-de-semana.
Em 1898 a sua mãe arranjou-lhe casamento com uma rapariga nove anos mais nova. Eles tiveram seis filhos: Albert, Anna, Gertrude, Eugene, John e Henry Fish.
Um ano depois, aos vinte anos mudaram-se para Nova York, onde começou a ter relações sado-masoquistas homossexuais. Em Nova York ele começou a estuprar crianças e participar de "atividades bizarras". Fish começou a trabalhar como pintor e continuava a molestar rapazes, a maioria com menos de seis anos.
Um dia, um dos seus amantes masculinos levou-o a um museu de cera, onde Fish ficou fascinado com a bissetriz de um pênis. Pouco depois desenvolveu um interesse mórbido por castração. Durante uma relação com um homem mentalmente retardado, Fish tentou castrá-lo, mas o homem assustou-se e fugiu.
Fish começou a intensificar as suas idas a bordéis, onde podia ser chicoteado e agredido. Em 1903 foi preso por desfalque e cumpriu a sua pena em Sing Sing Correctional Facility, onde tinha relações sexuais com outros presos.
Em Janeiro de 1917 a sua mulher deixou-o por John Straube. Depois disto, Fish começou a ouvir vozes. Uma vez enrolou-se numa carpete, explicando que estava a seguir instruções do apóstolo João.
Por volta desta altura Fish tinha uma grande necessidade de masoquismo: pegava em bolas de algodão, embebia-as em álcool e pegava-lhes fogo no seu ânus, começou a espancar-se a si mesmo com um remo e espetava agulhas no seu corpo, entre o seu recto e o seu escroto. Normalmente ele retirava-as, mas começou a inseri-las tão profundamente que já não as conseguiu tirar. Raios X feitos posteriormente revelaram 29 agulhas na sua região pélvica.
Aos 55 anos começou a sofrer alucinações e ilusões. Fish acreditava que Deus lhe ordenava para torturar e castrar rapazes pequenos. Os médicos afirmaram que Fish sofria de uma psicose religiosa.
Em 1910 começou uma onda de homicídios. Atacou Thomas Bedden, em Wilmington, Delaware. Depois apunhalou um menino mentalmente retardado em 1919 Georgetown, Washington, D.C.. As suas vítimas preferidas eram meninos com doenças mentais ou negros, que ele achava que não seriam procurados.
Por volta de 1920 Fish viajou por 23 estados americanos pintando casas, ele via nesse trabalho como a perfeita oportunidade para cometer suas atrocidades às criancinhas. Fish lia frequentemente a bíblia e dizia que a voz de Deus o mandava matar.
Em Julho de 1924, Fish encontrou Beatrice Kiel, de 8 anos, a brincar sozinha na fazenda de seus pais. Fish ofereceu-lhe dinheiro para o ajudar a procurar ruibarbo nos campos vizinhos. Beatrice esteve quase a ir com Fish, mas a sua mãe afugentou-o. Fish voltou à fazenda e tentou dormir no celeiro, mas o pai de Beatrice encontrou-o e Fish foi-se embora.
Descobertas depois da sua prisão
A 11 de Fevereiro de 1927, Billy Gaffney brincava no corredor de fora do seu apartamento com o seu amigo Billy Beaton. Ambos desapareceram, mas o amigo foi encontrado no telhado do apartamento. Quando perguntaram a Beaton o que tinha acontecido a Gaffney, ele respondeu que o papão o tinha levado.
Inicialmente Peter Kudzinowski foi apontado como suspeito da morte do menino. Mas, Joseph Meehan viu a foto de Fish no jornal e identificou-o como o homem que viu a 11 de Fevereiro, tentanto acalmar um rapaz que transportava dentro de um carrinho de compras. O rapaz não queria vestir o casaco e estava a chorar pela mãe. O rapaz foi então arrastado para fora do carrinho. A polícia afirma que a descrição do rapaz corresponde a Billy Gaffney, cujo corpo nunca foi encontrado.
A mãe de Billy visitou Fish na prisão para tentar saber mais detalhes, ao que Fish respondeu “Eu levei-o para Riker Ave. Uma lixeira. Havia uma casa sozinha, não muito longe dali. Eu levei o corpo para aí. Tirei-lhe a roupa, amarrei-lhe os pés e mãos. Queimei-lhe as roupas e atirei os seus sapatos para a lixeira. Voltei e pus o carrinho na 59 St. No dia seguinte levei ferramentas… ”
A carta
Sete anos depois, em Novembro de 1934, uma carta anonima foi enviada aos pais de Grace Budd:
Querida Mrs. Budd
Em 1894 um amigo meu embarcou no Steamer Tacoma, Capt. John Davis. Eles navegaram de S. Francisco para Hong Kong, China . Quando chegaram lá, ele e dois outros desembarcaram e embriagaram-se. Quando eles voltaram o barco tinha ido. Na altura houve fome na China. A carne de qualquer espécie foi de $1-3 por libra. O sofrimento era tão grande entre os pobres que as crianças com menos de 12 anos eram vendidas para comida, para impedir outros morrerem de fome. Meninos e meninas com menos de 14 anos não estavam seguros na rua. Você pode entrar em qualquer loja e pedir bifes. A parte do corpo nu de um menino ou menina era mostrada e eles tiravam apenas que você queria. As partes de trás de um menino ou menina é a parte mais doce do corpo e é vendido como costeleta de carne de vitela pelo preço mais alto. John ficou lá tanto tempo, que adquiriu gosto pela carne humana. No seu regresso a Nova York ele roubou dois meninos, de 7 e 11. Levou-os para casa, despiu-os e atou-os num armário. Depois queimou tudo o que eles tinham. Várias vezes durante o dia e noite ele batia-lhes – torturava-os – para fazer a sua carne mais tenra. Primeiro ele matou o menino de 11 anos, porque ele tinha o rabo mais gordo e naturalmente a maior parte de carne dele. Todas as partes do seu corpo foram cozinhadas e comidas excepto a cabeça – ossos e tripas. Ele foi assado no forno (todo do seu rebo), fervido, grelhado, frito e guisado. O menino mais pequeno foi seguinte, da mesma maneira. Na altura eu vivia em 409 E 100 St, perto deles. Ele dizia-me frequentemente que a carne humana era boa, e eu decidi provar. Num domingo, dia 3 de Junho de 1928, fui chamado por si a at 406 W 15 St. Levei um pote de queijo com morangos. Lanchamos. A Grace sentou-se no meu colo e beijou-me. Decidi-me a comê-la. Sob o pretexto de a levar a uma festa. Tu disseste que sim, que ela podia ir. Eu levei-a para uma casa vazia em Westchester, que já tinha escolhido. Quando chegamos lá, mandei-a ficar fora. Ela apanhou flores silvestres. Eu fui lá para cima e despi toda a minha roupa. Eu sabia que se não o fizesse ficaria com o seu sangue. Quando ficou tudo pronto, fui à janela e chamei-a. Então escondi-me num armário até que ela chegasse ao quarto. Quando ela me viu nu começou a chorar e tentou descer as escadas. Agarrei-a e ela disse que iria contar à mãe. Primeiro despi-a. Como ela lutava – mordia e arranhava. Abafei-a até à morte, depois cortei-a em pequenas partes. Cozinhei e comi. Como era doce e tenro o seu pequeno rabo. Levou-me nove dias para comer todo o corpo. Não a forniquei. Ela morreu virgem.
A senhora Budd não sabia ler, então o seu filho leu-a por ela. Fish admitiu mais tarde ao seu advogado que tinha mesmo violado Grace. Fish era um mentiroso compulsivo, contudo pode ser falso. Ele disse à polícia, que “nunca entrou na sua cabeça” violar a menina.
A carta foi enviada num envelope com um pequeno emblema em forma de hexágono, com as letras "N.Y.P.C.B.A." (New York Private Chauffeur's Benevolent Association). Um zelador da companhia disse à polícia que ele tinha levado alguns artigos de papelaria para casa, mas tinha deixado-os em sua casa no 200 East 52nd Street, quando se mudou. A dona da casa disse Fish tinha deixado o quarto uns dias antes e que o filho de Fish lhe tinha enviado dinheiro e Fish pediu-lhe que guardasse o quarto.
O detective William F. King, esperou pelo regresso de Fish. Mais tarde detiveram Fish, que aceitou ir à sede do interrogatório prestar declarações, mas quando passou a porta investiu sobre King, com uma navalha em cada mão. King conseguiu desarmá-lo e levou-o para a esquadra. Fish não negou o homicídio de Grace Budd, dizendo que foi até à casa do Budd para matar Edward e não Grace.

Como funcionam as seitas

Quando a maioria de nós ouve a palavra seita, talvez imagine um grupo de pessoas alienadas que sofreram lavagem cerebral e praticam atos macabros. Talvez lembre de assassinatos em massa ou outras cenas negativas. Mas o que imaginamos é real? O que é exatamente uma seita e no que ela difere de uma religião? São todas perigosas? As pessoas que participam de seitas destrutivas são mentalmente perturbadas ou somos todos igualmente suscetíveis?
Neste artigo, vamos separar a realidade da ficção e saber exatamente o que é uma seita, o que caracteriza uma seita como destrutiva e, além disso, dar uma olhada em alguns dos mais notáveis acontecimentos sobre seitas na história moderna. 
O que é uma seita?
As seitas que estão envolvidas com notícias negativas não são uma regra. Basicamente, uma seita é apenas um grupo religioso pequeno, não estabelecido, sem um objetivo final, que gira em torno de um único líder. O American Heritage Dictionary define seita da seguinte forma:
uma religião ou culto religioso considerado extremista ou falso, com seus seguidores normalmente vivendo de forma não convencional, sob orientação de um líder autoritário e carismático;
um sistema ou comunidade de adoração e rituais religiosos.
A primeira definição se aproxima mais do uso que fazemos do termo, mas você deve ter percebido que não há menção sobre assassinato ou assassinato coletivo. Não há diferença significativa entre seita e religião em termos de fé, moralidade ou espiritualidade. As principais diferenças são: uma seita funciona fora da sociedade, normalmente faz seus seguidores prometerem total comprometimento com o grupo e tem um único líder, enquanto uma religião normalmente está inserida na cultura do povo, requer vários níveis de comprometimento de seus membros e tem uma hierarquia de liderança que, na prática, pode funcionar como uma série de limitações e inspeções.
Seitas no Brasil 
O Brasil é um continente de contrastes, em todos os aspectos, e isso não poderia ser diferente em relação à fé. O país é predominantemente cristão, com destaque para o catolicismo, mas de norte a sul do país podemos encontrar diversas religiões, crenças e, inclusive, seitas. Veja algumas das instituições que são consideradas seitas:
Igreja do Trance Divino (ITD) - criada em 2005, na Chapada dos Veadeiros (interior de Goiás), chama a atenção por seus adeptos adorarem discos voadores e música eletrônica. 
Igreja de Cristo Internacional de Boston (ICI) - teve início oficialmente em São Paulo, em maio de 1987 e se expandiu para outras cidades brasileiras, incluindo Belo Horizonte (1994) e Salvador (1997). Interpreta a Bíblia segundo a visão do fundador, Kipp Mckean.
LBV - foi fundada oficialmente em 7 de setembro de 1959 por Alziro Zarur. Sua missão é: “Promover Educação e Cultura com Espiritualidade, para que haja Alimentação, Saúde e Trabalho para todos, na formação do Cidadão Ecumênico”.
Santo Daime - em 1945, Mestre Irineu fundou o Centro de Iluminação Cristã Luz Universal, que chegou a congregar 500 membros efetivos. Utiliza em suas cerimônias religiosas uma substância psicotrópica alucinógena chamada "dimetiltriptamina" (DMT).
Vale do Amanhecer - seita xamanista (centra-se nos ritmos cíclicos da natureza: nascimento, morte e renascimento) fundada em 1968 e localizada a 6 km de Planaltina, cidade satélite de Brasília. Teve sua criação diretamente associada à vida da sergipana e ex-caminhoneira Neiva Chaves Zelaya (Tia Neiva) e às supostas aparições de uma entidade indígena chamada Pai Seta Branca, seu mentor espiritual. Conta com cerca de 36.000 adeptos.
Suprema Ordem Universal da Santíssima Trindade - fundada no Paraná, em 1982, por Iuri Thais Kniss, que se auto-intitula Inri Cristo. Ele se proclama a reencarnação de Jesus Cristo. Popularmente, Inri é visto como uma personalidade humorística, tendo aparecido em diversos programas de TV.
Borboletas Azuis - Roldão Mangueira de Figueiredo, fundador e líder da seita da Paraíba, previu que no dia 13 de maio de 1980 o mundo acabaria num dilúvio. A notícia causou grande pânico em Campina Grande (PB), mas com a não concretização da profecia, a seita afundou no esquecimento.
Embora a maioria das seitas existentes no Brasil não seja considerada destrutiva, há alguns casos que chegaram à mídia envolvendo rituais macabros e mortes:
2003 - supostos membros da seita Delineamento Universal Superior foram acusados de seqüestrar, torturar, castrar e matar cinco crianças em Altamira, no Pará, entre 1989 e 1993 em rituais de magia negra. Quatro acusados foram condenados. Um estava foragido na época do julgamento.
1998 - em 27 de dezembro de 1998, o pastor da seita Igreja Pentecostal Unida do Brasil, em Seringal Larvas, Tarauacá (Acre), foi preso. Francisco Bezerra de Morais, (“pastor” Totó), juntamente com outros membros da seita, mataram seis pessoas a pauladas e depois as queimaram. O líder disse que agiu por ordem de Deus. A situação só não se tornou mais grave porque alguns seguidores conseguiram fugir e avisar as autoridades.
1977 - José Maurino Carvalho e Maria Nilza Oliveira Pessoa foram considerados os responsáveis pelo assassinato de 8 crianças em 30 de abril de 1977, na praia de Stella Maris, em Salvador. Eles eram líderes da Igreja Universal Assembléia dos Santos. A seita pregava o abandono do casamento civil e o voto, considerados obrigações mundanas. Os líderes diziam ainda que Jesus havia ordenado as mortes.
Seitas destrutivas
Existe uma grande diferença entre uma seita destrutiva e uma religião não destrutiva (ou uma seita não destrutiva). Uma seita destrutiva (ou totalista) explora a vulnerabilidade de seus membros para ganhar total controle sobre eles, normalmente usando técnicas psicológicas com o objetivo de conseguir algum tipo de controle mental sobre seus membros. Já uma religião ou seita não destrutiva tenta aliviar a vulnerabilidade de seus membros por meio de orientação espiritual, esforçando-se para ajudá-los a ter controle sobre sua vida.
Enquanto a maioria das religiões menos predominantes são inofensivas, certas circunstâncias fazem delas um ninho fácil para práticas destrutivas. A seita californiana O Templo do Povo começou como uma instituição de caridade que possuía uma clínica médica e um programa de reabilitação de drogados. E terminou em suicídio coletivo em Jonestown, Guiana (em 1978), em que cerca de 900 seguidores tomaram uma mistura de suco de laranja com cianureto. O mais impressionante é que aqueles que se negaram a tomar a mistura foram assassinados a tiros. Como algo que começou trazendo tanta esperança às pessoas pode ter se tornado tão negativo? Existe muita especulação a respeito do que aconteceu aos membros do Templo do Povo, mas para a maioria, o que deu errado é o que normalmente acontece com a maioria das seitas destrutivas: a liderança.
Novecentos membros do Templo do Povo (incluindo mais de 200 crianças) mortas depois que Jones comandou um assassinato/suicídio coletivo em 1978
Primeiramente, muitas destas religiões são fundadas por uma única pessoa, que retém uma posição de poder exclusivo na organização e o poder tende a corromper até as pessoas mais éticas. No caso do Templo do Povo, existem provas de que seu líder, o reverendo James (Jim) Warren Jones, durante os anos 70, estava abusando de medicamentos que só são vendidos mediante prescrição médica e ficando cada vez mais paranóico. Pelo fato destes grupos operarem fora da sociedade, ninguém inspeciona seus procedimentos, portanto, um líder desonesto e mentalmente instável fica livre para explorar seus seguidores da maneira que bem entender. Além destaestrutura autoritária de liderança, ainda existem algumas características básicas em uma seita destrutiva:
  • liderança carismática
  • mentira e enganação no recrutamento de novos membros
  • uso de métodos para controle mental
  • isolamento (físico e/ou psicológico)
  • exigência de devoção e lealdade inquestionáveis e absolutas
  • distinção rígida e insuperável entre "nós" (bem, salvo) e "eles" (mal, vão para o inferno)
  • "linguagem interna" que apenas os membros entendem completamente
  • controle rígido sobre as rotinas diárias dos membros
Nem todas as seitas destrutivas são de natureza religiosa. Podem ser baseadas em objetivos políticos e financeiros também. No fim das contas, o objetivo é subjugar a individualidade dos membros para satisfazer os desejos do(s) líder(es) reforçando sua posição autotitulada de salvador, participando de atividades destrutivas em nome de uma revolução política ou simplesmente enchendo os bolsos do líder com o dinheiro suado dos membros.
Existem grupos políticos radicais, esquemas de pirâmide comercial e seminários de auto-ajuda que empregam técnicas semelhantes de recrutamento e lavagem cerebral como os dos cultos religiosos destrutivos, tentando atingir pessoas com certa vulnerabilidade e mantê-las envolvidas. O resultado final é um "convertido" capaz de acabar com a própria vida em nome do capitalismo destrutivo, de convencer todas as pessoas queridas a entrar no mesmo negócio que está acabando com suas economias de toda uma vida, ou de ficar se inscrevendo em uma série interminável de palestras, seminários e retiros que prometem cura psicológica e espiritual, mas que na verdade apenas servem para acabar com sua conta bancária.

Pastor Jim Jones e o Santo Suicídio

A história por trás da morte de 918 pessoas
Jim Jones (1931-1978) era um homem pacífico e sempre teve o desejo de ter sua própria igreja.
Concretizou sua vontade em 1954. Situados em Indianápolis, nos Estados Unidos, Jones notava o aumento do seu número de fiéis, mas desejava expandir sua palavra.
Segundo ele, em 1960, uma visão lhe revelou um ataque nuclear em questão de poucos anos.
Com o intuito de difundir sua mensagem antes do tal ataque nuclear, viajou então à Cuba e ao Brasil (Belo Horizonte e Rio de Janeiro), mas não teve sucesso em seu propósito.
Voltou aos Estados Unidos e encontrou sua igreja, Templo dos Povos, com sérios problemas.
Alguns ex-membros haviam denunciado a igreja e o país começava a notar o comportamento fanático de seus fiéis.
Durante um dos cultos, Jim Jones havia pedido para que todos bebessem de um líquido que havia sido distribuído a todos os fiéis. Todos beberam. Jones disse:
- O que vocês acabaram de beber é veneno!
Os fiéis se entreolharam e ficaram estáticos, esperando a morte.
O Pastor Jim Jones então tranquilizou a todos, afirmando que não se tratava de veneno. Disse a todos que apenas havia testado a fidelidade dos presentes, mas que algo parecido poderia ocorrer futuramente, em situações que a morte seria a única saída como fuga da perseguição que a igreja sofria.
Jones foi informado de que o jornal do dia seguinte publicaria uma matéria com todas as acusações.
Ligou no jornal e, como não conseguiu o cancelamento da matéria, convenceu que a lessem pelo telefone, para que ele soubesse do que se tratava. A matéria era o relato dos ex-membros, alegando haver violência durante os cultos, a existência de pessoas contratadas para encenarem curas, assédio sexual e ensaios de suicídio coletivos.
Ele sabia que todas as acusações procediam e decidiu mudar de cidade na mesma noite.
Em 1974, Jones comprou um terreno na Guiana e construiu o que chamava de Jonestown.
Muitos de seus fiéis, crentes de que a igreja Templo dos Povos sofria perseguição da população e do governo americano, se mudaram imediatamente para Jonestown, deixando sua casa e até mesmo sua família para trás.
A vida em Jonestown parecia perfeita. Trabalhavam, plantavam, colhiam, comiam, oravam, se divertiam…
No entanto, os parentes deixados para trás acionaram o governo, alegando que os fiéis da Templo dos Povos estavam vivendo quase que em cativeiro, já que Jim Jones se colocava contra quem quisesse sair de Jonestown.
Em novembro de 1978, o congressista democrata Leo Ryan viajou à Guiana, com o propósito de investigar as condições de vida daquela comunidade. Acompanhado por uma equipe da NBC, Ryan chegou em Jonestown e foi calorosamente recebido. As pessoas eram felizes, apegadas em sua fé e cantavam alegremente.
Ryan ficou impressionado. Aquela felicidade toda não se assemelhava em nada aos relatos de seqüestro, tortura, abusos e miséria, que descreviam Jonestown.
No entanto, horas depois, um dos jornalistas da NBC recebeu um bilhete com os dizeres “eu quero sair daqui”. Notando que os fiéis não diziam isso abertamente temendo represálias, Leo Ryan questionou Jim Jones sobre o desejo de saída de alguns fiéis.
Segundo Jones, eles eram livres para entrarem e saírem da comunidade quando quisessem e apenas fizeram esse “clamor por liberdade” para chamar a atenção.
No dia 18 de novembro de 1978, Leo Ryan partiria para os Estados Unidos, acompanhado dos jornalistas da NBC e de alguns poucos fiéis que quiseram aproveitar a situação para deixar a comunidade. Outros fiéis, vendo que alguns estavam realmente saindo (e aparentemente sem ameaças de Jim Jones), também quiseram partir.
Jones então viu dezenas de fieis arrumando suas malas e correndo para sair da comunidade junto com Ryan e os jornalistas.
Seu império começava a ruir.
Enquanto todos entravam nos aviões rumo aos Estados Unidos, uma caminhonete com homens armados cercou um dos aviões e o alvejaram. Leo Ryan e muitos outros faleceram no local.
Ao receber a notícia do que acontecera no aeroporto, Jim Jones reuniu seus fiéis e disse que aquela era a hora: teriam de beber do veneno, a última saída. Segundo eles, tropas estavam a caminho e prenderiam, mutilariam e torturaram aqueles fossem pegos.
Novamente, todos beberam. Jim Jones esperou alguns caírem e depois tirou a própria vida com um tiro na cabeça.
918 pessoas se suicidaram. Estima-se que mais de 300 conseguiram escapar do ato e fugiram para a floresta com medo das “tropas”. Muitos não foram encontrados até hoje.
Fonte: Documentário “Jonestown – The Life and Death of Peoples Temple”, 2006.

Jiboia ataca e engole macaco inteiro na Amazônia

Cientistas brasileiros capturaram um momento raro, na Floresta Amazônica, no qual uma jiboia ataca uma macaca bugio adulta e a devora inteira sobre uma árvore. O flagra, feito por uma equipe de brasileiros, foi divulgado pelo site LiveScience.
O ataque é considerado especial porque macacos costumam ser hábeis em se proteger dos predadores ao passo que jiboias costumam optar por presas menores, como roedores e aves.
Ao site, Júlio César Bicca-Marques, pesquisador da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, disse que a macaca não viu a cobra à espreita na árvore. O estudioso sugeriu ainda que cobras atacam os macacos mais do que se pensava anteriormente.
Os mamíferos, que têm boa visão, se defendem vivendo em grupos e mantendo-se atentos às ameaças. Mas a presa atacada havia se separado de seu grupo momentos antes do ataque.
A jiboia supostamente atingiu a macaca e rapidamente a envolveu em um aperto fatal, enrolando-a em seu corpo musculoso. A bugio tentou libertar-se segurando em uma árvore, mas acabou esmagada e, em seguida, devorada.

30 agosto 2013

No Ceará, cabra nasce com rosto "humano"

Você acreditaria se alguém dissesse que viu uma cabra recém-nascida com um rosto estranho, com traços humanos? Pois é. É difícil mesmo saber se isso é verdade, mas o fato é que a notícia foi divulgada há alguns dias e está circulando em vários portais de notícias e curiosidades.
Tudo começou quando Raimundo Pereira, um agropecuarista de Deputado Irapuan Pinheiro, no Ceará, divulgou uma foto perturbadora de um filhote de cabra que nasceu em sua fazenda. O animal tem uma aparência bastante incomum, fato que está chamando a atenção de especialistas em animais e curiosos de plantão.
De acordo com Pereira, esse foi o sétimo animal nascido com alguma anomalia genética em sua fazenda num intervalo de dois dias, coisa que nunca tinha acontecido anteriormente. Todos os animais que nasceram com essas alterações acabaram morrendo. E aí, você já tinha visto isso antes?
No Ceará, cabra nasce com rosto "humano"
Fonte: A Notícia

Controle genético cria “super vacas” com o dobro de massa muscular

Achou a imagem feia? O pior é saber que ela é real. Uma raça de gado chamada de “Azul Belga” leva intencionalmente um gene defeituoso que resulta em crescimento muscular muito acima do normal.
Um programa sobre as “super vacas” foi apresentado em 2008 pelo canal da National Geographic e mostra como a ciência pode ser usada para controlar a natureza, muitas vezes em nome dos ganhos da produção industrial - acima da ética e da saúde dos seres vivos.
As “super vacas” são produto da reprodução seletiva, que gerencia características desejáveis e repassa os genes por meio de inseminação artificial. Neste caso, o “desejável” é dar continuidade a um gene “doente”, que desregula o crescimento dos músculos do gado. Em resumo: é o estímulo a um defeito genético. O resultado é que um único animal pode produzir o dobro de carne que o normal.
SUPER VACAS ok
Veja o programa da National Geographic (disponível em inglês):

Gato persa entra para o Guinness por ter pelo mais longo do mundo

Um gato persa himalaio que vive em Los Angeles, nos Estados Unidos, entrou para o Guinness Book of World - o livro dos recordes - por ter o pelo mais comprido do mundo.
O felino de 2 anos chamado Colonel Meow tem 22,87cm de pelo desde sua raiz até as pontas. O gato foi "medido" por três veterinários para ter a certeza de que tinha o maior comprimento de pelo
Essa categoria é nova do livro dos recordes, mas os donos do animal disseram que já estavam honrados de seu gato pelo menos competir e ficaram muito mais felizes quando souberam o resultado, segundo o jornal "NY Daily News".
"Nós já sabíamos que ele era o melhor gato do mundo, mas por ser reconhecido no livro Guinness World Records leva ele a um outro nível", completaram os donos.
Gato entra para o livro dos recordes por ter o pelo mais comprido do mundo (Foto: Divulgação/ Guinness World Records)
Felino de Los Angeles rece o título de gato com pelo mais comprido do mundo (Foto: Divulgação/ Guinness World Records)

Música de despedida feita por viúvo de 96 anos entra na parada dos EUA

Fred e Lorraine Stobaugh, que foram casados por 75 anos (Foto: Divulgação / Filme 'A Letter from Fred')A música "Oh sweet Lorraine", composta por um homem de 96 anos após a morte da esposa de 91, com quem estava casado há 73 anos, chegou entre as dez mais vendidas na iTunes Store dos EUA na manhã desta sexta-feira (30). A faixa também entrou no ranking de "Digital rock songs" da revista "Billboard".
A "Billboard" descreveu a entrada da música na parada como "surpreendente".
Fred Stoubaugh, de Illionois, nos EUA, escreveu a letra da faixa um mês após a morte da esposa, quando ficou sabendo de um concurso musical através de um jornal. Ele não é músico profissional e disse na inscrição que não sabia cantar.
Enquanto a maioria dos participantes do concurso enviou seu material por YouTube, Fred mandou a letra da música por carta, descrevendo a história dele com Lorraine, com quem foi casado por 73 anos.
"Doce Lorraine, eu gostaria que pudéssemos viver os bons tempos de novo / Doce Lorraine, a vida acontece só uma vez, nunca de novo", diz a letra da música.
O estúdio Green Shoes, que organizou a competição, decidiu ajudar Fred a finalizar a composição, e fez a gravação com músicos profissionais.
Um documentário lançado pelo estúdio da música mostra a história da composição e a canção. No vídeo, Fred chora ao ouvir a música pela primeira vez.
Fred Stobaugh, de 96 anos, se emociona ao ouvir pela primeira vez a gravação profissional de sua composição para a esposa falecida (Foto: Divulgação / Filme 'A Letter from Fred')

Espécie de tubarão que 'anda' no fundo do mar é descoberta; veja vídeo

A descoberta de uma nova espécie de tubarão que "anda" no fundo do mar foi anunciada nesta semana por cientistas ligados à ONG Conservação Internacional e ao Museu Ocidental Australiano. O animal, batizado de Hemiscyllium halmahera, ocorre próximo à costa da Indonésia, afirma o site do jornal britânico "The Telegraph."
O peixe mede cerca de 70 centímetros e tem coloração próxima ao marrom, com manchas na pele. Ele se contorce para poder arrastar o corpo no fundo do mar e usa as barbatanas para "caminhar", diz o jornal britânico.
Tubarão que 'caminha' no fundo do mar de espécie recém-descoberta (Foto: CI/Mark Erdmann)
O tubarão é mais ativo à noite, e caça invertebrados marinhos e peixes para se alimentar.
A espécie foi descrita no periódico científico "Jornal Internacional de Ictiologia" pelo pesquisador Gerald Allen, afirma o "The Telegraph". Ela foi descoberta com a ajuda de outro cientista, Mark Erdmann.
O animal é muito pequeno para ameaçar humanos. Ele possui semelhanças com outro, da espécie Hemiscyullium galei, ressalta ainda o jornal.

Garota americana com ameba que 'come' cérebro já consegue falar

A adolescente americana Kali Hardig, de 12 anos, já consegue pronunciar algumas palavras após contrair uma ameba que "come" o cérebro, enquanto nadava em um parque aquático. A adolescente está internada desde julho no Hospital Infantil do Arkansas, em Little Rock, onde até então estava em coma induzido.
Segundo um dos médicos que cuidam da paciente, ela também já pode ingerir alguns alimentos e líquidos.
A mãe de Kali, Traci Hardig, tem acompanhado toda a luta da filha contra o parasita Naegleria fowleri, que quase sempre causa uma infecção fatal nas meninges (membranas que revestem e protegem o sistema nervoso central).
Há algumas semanas, a garota teve o corpo resfriado para tentar reduzir o inchaço, foi tratada com um medicamente usado normalmente para câncer de mama e mantida sob ventilação mecânica por mais de 15 dias.
Desde então, Kali tem feito "progressos incríveis", avaliam os médicos, o que inclui respirar por conta própria, escrever o próprio nome e responder a perguntas. Exames também não mostram mais sinais da ameba no organismo.
A menina ainda terá algumas semanas de recuperação pela frente, mas a família já comemora sua vitória.
Na segunda-feira (26), o americano Zachary Reyna, de 12 anos, morreu na Flórida após pegar esse mesmo parasita, enquanto brincava com amigos em uma vala perto de casa.
Kali Hardig, de 12 anos, em imagem feita em abril pela família (Foto: Traci Hardig/AP)

29 agosto 2013

A LÁGRIMA

- Faça-me o obséquio de trazer reunidos
Clorureto de sódio, água e albumina...
Ah! Basta isto, porque isto é que origina
A lágrima de todos os vencidos!

- A farmacologia e a medicina
Com a relatividade dos sentidos
Desconhecem os mil desconhecidos
Segredos dessa secreção divina.

- O farmacêutico me obtemperou. -
Vem-me então à lembrança o pai Ioiô 
Na ânsia psíquica da última eficácia!

E logo a lágrima em meus olhos cai.
Ah! Vale mais lembrar-me eu de meu Pai
Do que todas as drogas da farmácia!
Augusto dos Anjos.

Condição rara faz bebê nascer com uma cabeça sobre a outra

Um bebê de oito meses de idade cresceu com uma segunda “cabeça” na Índia. De acordo com os médicos, a cabeça era parte de um “gêmeo parasita”, e foi removido agora com cirurgia.
O bebê, chamado de Tofajjal, estava sofrendo de uma doença rara denominada encefalomeningocele. A cirurgia para remoção da segunda cabeça durou cinco horas, e, de acordo com o médico, era algo bastante complicado e delicado de se fazer.
A encefalomeningocele é uma deformação do tubo neural mais frequentemente observada em pacientes que vivem no Sudeste Asiático. 
Os médicos dizem que Tofajjal já mostrou sinais de rápida recuperação pós-operatório e espera-se que ele seja capaz de levar uma vida relativamente normal.
Fonte: Daily Mail

Chinês passa 30 anos preso em minúscula cela de pedra por apresentar problemas mentais

O chinês Dong Hai, de 46 anos, passou as últimas três décadas preso em uma minúscula cela de pedra, construída no quintal de seus pais. O terrível confinamento aconteceu porque, durante a adolescência, ele começou a dar sinais de problemas mentais e sua família ficou com medo que ele pudesse machucar alguém.
Os pais de Dong Hai, Dong Watou e Xiao Hong, vivem em Longhai, na província de Fujian, sudeste da China, e afirmam ao "Daily Mail" ter procurado ajuda médica em hospitais, para tratar seu único filho, mas não tiveram sucesso. O casal gastou suas economias em tratamentos durante um ano e precisaram interrompê-lo quando o dinheiro acabou.
Conforme o tempo passou, nada melhorou e agora o casal que já está próximo aos 70 anos está preocupado com o futuro do filho, pois não sabem quem cuidará de Hai quando morrerem.
Durante os últimos 30 anos, o homem não colocou os pés para fora da pequena cela de cinco metros quadrados. A comida chega até ele através de um buraco na parede e todos os dias o pai usa uma pá, feita com uma longa vara de bambu, para recolher os excrementos do filho. Depois disso, a mãe joga água para dentro da caverna, para limpar o chão.
Alguns anos atrás, a vila onde a família mora foi tomada pelo governo para um projeto de desenvolvimento imobiliário, desta forma, o pai perdeu o emprego e tem vivido apenas de biscates. No ano passado, o senhor Dong Wait conseguiu um trabalho como vigia em uma construção, mas foi espancado por um motorista bêbado, que atingiu sua perna direita, provocando uma enorme cicatriz e o impossibilitando de trabalhar.
A família decidiu colocar sua história nos jornais para tentar alguma solução para o caso do filho doente.

Garoto de 14 anos vive como se seu corpo tivesse 110 anos

Ali Hussain tem 14 anos e nasceu na Índia. Ele sofre de uma condição chamada progeria (que quer dizer velhice em grego e também é conhecida como Síndrome de Huntchinson-Gilford ou Síndrome do ET). Por causa do problema, seu corpo envelhece oito vezes mais rápido que o normal, ou seja, é como se ele tivesse 110 anos.
A doença genética, considerada rara, afeta apenas 80 pessoas no mundo, no entanto, na família de Ali cinco de seus irmãos morreram por conta da progeria. Os portadores da síndrome, que não tem cura, além do envelhecimento rápido, são propensas a artrite, problemas de visão e pulmão, doenças do coração e calvície. Segundo informações do “Daily Mail”, a expectativa de vida para pessoas nessas condições é de 14 anos, mas os irmãos de Ali sobreviveram a idades entre 12 e 24.
“Eu quer muito viver e espero que haja remédio para a minha condição em outros países. Eu não tenho medo da morte, mas meus pais já sofreram muito. Eu adoraria viver muito mais tempo para eles. Eu não quero sobrecarrega-los com mais nenhuma dor”, lamenta o garoto ao tabloide britânico.
2129 The Boy with the Body of a 110 year old (7 photos)
Os pais de Ali, Nabi Khan, de 50 anos, e Razia, de 46 anos, são primos de primeiro grau e se uniram por meio de um casamento arranjado há 32 anos. Da relação nasceram oito filhos, destes, Rehana, Iqramul, Gudiya e Rubina morreram em decorrência da progeria. Um quinto filho, um menino, morreu apenas 24 horas após o nascimento e também tinha o problema. O casal ainda tem duas filhas saudáveis Sanjeeda, de 20 anos, e Chanda, de 10 anos.
Segundo o jornal, quando a primeira filha de Nabi e Razia nasceu, em 1993, eles não faziam ideia do problema da menina. Só perceberam que algo estava errado, quando, no aniversário de dois anos ela ainda não podia comer ou andar corretamente. Foi aí que começou uma verdadeira via-sacra em diversos médicos, que nunca chegavam à conclusão alguma.
“Nós nunca tínhamos ouvido falar em progeria. Os médicos nunca mencionaram isso. Eles davam tateavam no escuro, assim como nós. Se algum médico tivesse nos dito que nossos filhos estavam sofrendo com algum tipo de problema genético, nós teríamos parado de ter filhos. Mas nada foi dito”, lamenta Nabi, que trabalha como porteiro em uma fábrica e ganha em torno de R$ 75 ao mês.
1143 The Boy with the Body of a 110 year old (7 photos)
O diagnóstico das crianças só veio em 1995, mas não os ajudou muito, afinal, a doença não tem cura, apenas tratamentos paliativos. Por conta disso, a vida dos cinco filhos do casal não foi nada fácil. Além das dificuldades de estar preso a um corpo muito mais velho que a idade deles, ainda tinha o preconceito e o bullying dos colegas na escola, que os chamava de meninos de olhos grandes, entre outros apelidos nada amistosos.
“Nenhum de nós teve uma infância. Fomos confinados em nossa casa. Nós tínhamos um ao outro, mas era só. Quando íamos à escola, éramos empurrados, chamados por nomes, as crianças tentavam nos prejudicar. Não podíamos nos defender nem fisicamente, já que nossos pulmões são muito pequenos e o fôlego é curto”, lembra Ali.
538 The Boy with the Body of a 110 year old (7 photos)
Ele diz que adoraria ser uma pessoa normal, para poder jogar bola, ir à escola e correr riscos. “Às vezes fico deprimido. Chorei durante semanas quando meu irmão Iqramul morreu. Ele era meu melhor amigo e tão jovem quanto meus outros irmãos quando se foram. Eu não tenho ninguém agora, mas preciso ficar forte por meus pais”, diz o garoto.
Ali e seus pais agora recebem suporte de uma instituição, que ajuda nas despesas médicas do menino. Quando soube que existia outras pessoas com o mesmo problema que ele, o garoto ficou animado em participar da reunião anual dos portadores de progeria. “É muito solitário viver essa vida, principalmente agora que meus irmãos morreram. Eu não sei se há alguém como eu, mas gostaria de estar na companhia de outras pessoas parecidas. Eu sei que meu irmão ficaria orgulhoso de mim”, finaliza.
 The Boy with the Body of a 110 year old (7 photos)

Os 30 melhores alimentos para ganhar massa muscular

A Revista Men’s Health gringa publicou neste mês uma lista com os 30 melhores alimentos para quem quer ganhar massa muscular.
A lista é composta exclusivamente por alimentos. Ou seja, não espere encontrar nela suplementos alimentares como whey protein, maltodextrina, dextrose, creatina e similares. Tampouco vá procurar esteroides anabolizantes.
Abaixo reproduzimos a lista, com alguns comentários do professor Mark McManus, do Muscle Hack, e adaptações para o Brasil:
Semente de girassol: um bom lanche, com 25 gramas de proteína para cada 100 gramas de semente.
Mackerel: é um peixe similar à Cavala, com altos índices de ômega 3, gorduras boas e proteínas.
Abacaxi: excelente para o pós-treino, com carboidratos de rápida absorção.
Grãos de Edamame: é um preparado feito com grãos de soja ainda dentro da vagem, comumente encontrado no Japão, Havaí, China e Coreia. As vagens são fervidas em água junto com condimentos (como sal) e servidas inteiras.
Azeite de oliva: fonte de gorduras monossaturadas, que previnem o catabolismo e protegem as articulações.
Carne de veado: difícil de conseguir no Brasil. Apresenta alta concentração de proteínas e vitamina B12.
Brócolis: o rei dos vegetais!
Ovos: baratos, com altos índices de proteínas, gorduras e vitamina D.
Café: o café melhora a resistência e diminui as dores musculares, mas é claro que está se falando aqui do café puro, sem açúcar, creme e outras porcarias que costumamos adicionar.
Anchovas: pequeno peixe também conhecido em outras regiões do Brasil como enchova, manjuba, piquitinga, pititinga1 ou anchoveta.
Curcuma/Açafrão da terra: a curcuma é um tempero que ajuda no crescimento e reparação dos músculos. Também é chamada de turmérico, açafrão-da-índia, açafroa e gengibre amarelo.
Leite integral: o leite integral possui boas doses de proteína e gordura, sendo útil especialmente para quem está em fase de bulk, como falamos neste post sobre a estratégia Go Mad!
Gengibre: alivia dores musculares.
Carne vermelha “orgânica”: a revista recomenda carne vermelha de gado criado em pasto, livre, alimentado de grama. Nada é melhor para a construção de músculos do que esse tipo de proteína.
Iogurte natural: ajuda a equilibrar a flora intestinal, mas note que estamos falando do iogurte natural puro, integral e sem açúcar.
Agrião: acrescente mais este vegetal na sua salada e obtenha doses extras de ferro e vitamina C.
Quinoa: os grãos de quinoa são ricos em proteínas e carboidratos de baixo índice glicêmico, o ideal para quem quer entrar em forma.
Ricota: usada há tempos por fisiculturistas, a ricota fornece altas doses de proteínas e baixa quantidade de carboidratos.
Kiwi: a frutinha é boa de vitamina C e excelente opção para lanches rápidos.
Tahine: é uma pasta feita de sementes de gergelim (sésamo) muito usada na cozinha do Oriente Médio, sendo usado como complemento de muitos pratos árabes e também doces. Possui boa concentração de zinco, que é essencial para o crescimento celular e síntese de proteínas.
Pepino: bom para reconstrução dos tecidos musculares.
Peru: além de ter boas doses de proteína, a carne de peru possui também glutamina, que ajuda a regular a síntese proteica.
Manteiga de amendoim: possui boas doses de proteína e gordura, sendo fonte também de magnésio. Você pode usá-la para fazer barras de proteína caseiras.
Mamão papaya: possui uma substância que ajuda a quebrar a proteína, facilitando sua absorção pelo organismo.
Gérmen de trigo: parte mais nobre do grão de trigo, é rico em cromo, o que ajuda a levar glucose para dentro das células musculares.
Pimenta vermelha: contém vitamina C e possui propriedades termogênicas.
Espirulina: é uma espécie de alga (na verdade, uma bactéria) composta por 65% de proteínas.
Água: estranhamente aparece na 28ª posição, sendo que deveria estar em primeiro lugar, já que é essencial para força, digestão, transporte dos nutrientes e tudo o mais o que o corpo for fazer.
Suco de cereja: também difícil de conseguir no Brasil, já que estamos falando de bater as cerejas no liquidificador com água e tomar tudo. Não vale trocar por sucos industrializados.
Espinafre: sim, o marinheiro Popeye estava certo. O espinafre melhora a força e resistência dos músculos.

Professora americana é condenada após ter filho com aluno adolescente

Uma professora da Califórnia, nos Estados Unidos, foi condenada nesta quarta-feira (28) a um ano de prisão após ter admitido fazer sexo com três de seus estudantes menores de idade, segundo o jornal "New York Daily News".
A mulher de 28 anos também terá que cumprir cinco anos de liberdade condicional e terá seu nome incluído no registro de agressores sexuais pelo resto de sua vida.
Laura Whitehurst conseguiu um acordo após confessar o crime e reduziu seu tempo de prisão – ela poderia ser condenada a até 29 anos de reclusão.
A professora ficou grávida de um dos alunos, na época com 16 anos, e teve uma menina. Os pais do adolescente chamaram Laura de “predadora de crianças”. “Ela roubou sua inocência e juventude”, disseram em uma carta lida durante o julgamento.
Laura dava aulas de inglês na Citrus Valley High School em Redlands.
Outro dos alunos, que na época do relacionamento tinha 17 anos, disse que não se sentiu como vítima da professora.
Laura, entretanto, disse ter vergonha de seu passado e está imersa em “sentimentos destrutivos”, disse seu advogado.
Laura Whitehurst ao ser presa pela polícia dos EUA (Foto: Reprodução/Facebook/Departamento de Polícia de Redlands)

Casal em caiaque é surpreendido baleia-jubarte de 12 metros na Califórnia

Um casal que curtia um passeio de caiaque em Monterey Bay, na Califórnia, nos Estados Unidos, foi surpreendido pela presença de uma baleia de 12 metros e mais de 36 toneladas. O animal emergiu da água sem a menor cerimônia, e pegou de surpresa o biólogo Giancarlo Thomae e Karen.
O momento foi capturado por Giancarlo Thomae, especializado em vida marinha. O casal estava no caiaque, em um passeio para observar baleias. Os dois não acharam que conseguiriam chegar tão perto.
- Por ser um dos maiores animais do planeta, elas foram bastantes graciosas. O encontro comigo e Karen durou cerca de três quartos de segundo. A baleia mergulhou a menos de um metro do caiaque dela e não vimos uma gota de água no ar.
O biólogo explicou que a baleia-jubarte é muito curiosa e brincalhona. Ela costuma se aproximar de banhistas e de pessoas em pequenas embarcações.
- Às vezes elas ficam até amigáveis demais - destacou ele.
A legislação da Califórnia proíbe que qualquer pessoa chegue a menos de 90 metros de uma baleia no habitat natural dela. Karen e Giancarlo tiveram muita sorte em conseguir ver o animal tão de perto.
A baleia chegou bem perto
A baleia se exibiu para os dois
Leia mais: http://extra.globo.com

27 agosto 2013

Por que o gato preto é considerado mau agouro?

A superstição teve origem na Idade Média, quando se acreditava que os felinos, devido a seus hábitos noturnos, tinham parte com o demônio - e se o bichano era da cor negra, habitualmente associada às trevas, pior ainda para ele. Assim, no imaginário medieval, o gato preto tornou-se tão inseparável da mítica figura da feiticeira quanto a vassoura voadora. No século XV, o papa Inocêncio VIII (1432-1492) chegou a incluir o pobre animal em sua lista de perseguidos pela Inquisição, campanha assassina da Igreja católica contra supostas heresias e bruxarias. A perseguição atingiu seu auge na Inglaterra do século XVI, época de repentino aumento da população felina nas cidades. Consta que, em certa noite de 1560, em Lincolnshire, um gato preto foi ferido a pedradas. Encurralado, ele refugiou-se na casa de uma velhinha que costumava dar abrigo a gatos de rua. No dia seguinte, essa pessoa também apareceu machucada - o que fez o povo local concluir que ela era uma bruxa e o gato, seu disfarce noturno.
Nessa tentativa de combater o paganismo, a Inquisição inverteu uma tradição milenar, pois os gatos eram reverenciados como divindades, principalmente entre os antigos egípcios. Na França, a perseguição aos gatos durou até 1630, quando foi proibida pelo rei Luís XIII (1601-1643). Há, no entanto, uma pesquisa do Hospital de Long Island, nos Estados Unidos, que indica que, pelo menos para pessoas alérgicas, o contato com um gato preto pode ter péssimos efeitos. Isso porque os pelos felinos dessa cor conteriam uma maior quantidade de substâncias alergênicas.
Black_cat

Fazer mais sexo que seus amigos é o segredo da felicidade

Sexo é mágico: lembra que só de pensar no ato você fica mais espertinho? Pois é, ir além do pensamento pode deixar sua vida mais feliz. Mas, segundo uma pesquisa americana, você só vai ser feliz mesmo se acreditar que faz mais sexo do que todos seus amigos.
Tim Wadsworth, um sociólogo da Universidade de Colorado em Boulder, analisou os dados de uma pesquisa nacional com mais de 15 mil pessoas, realizada entre os anos de 1993 até 2006. Ele queria saber se a frequência com que as pessoas fazem sexo influencia na felicidade. E, sim, uma coisa tem tudo a ver com a outra: quem faz sexo 2 ou 3 vezes por mês tem 35% mais chances de sentir uma felicidade quase plena do que aqueles que raramente transam. Aliás, quanto mais sexo eles fazem, maior é a felicidade.
Isso só não acontece se seus amigos se vangloriarem mais das noitadas do que você. Pois é, quando os casais acreditam que fazem menos sexo do que os outros a felicidade cai pela metade. Ou seja, segundo a pesquisa, provavelmente você só vai se sentir feliz de verdade se pensar que faz mais sexo do que todos seus amigos.
Fonte: Carol Castro

Animais quase imortais

Confira a lista:
6 animais quase imortais [vídeo]
Moluscos: muitos dos animais invertebrados desse filo chegam a sobreviver mais de 400 anos. O segredo da longevidade: eles envelhecem de forma incrivelmente lenta;
Tartarugas: eis aqui um exemplo típico de vida longa. As tartarugas podem viver por vários séculos. De fato, algumas das que caminham hoje sobre a superfície assistiram ao nascimento das teorias de Darwin sobre a evolução — como partidários, possivelmente. O segredo da longevidade: suas entranhas simplesmente param de envelhecer com a chegada da adolescência;
Água-vivaa: a pequena espécie de hidrozoários conhecida como Turritopsis nutricula tem uma faculdade que faria inveja às tecnologias mais avançadas de combate ao envelhecimento humano. Essas criaturas podem regenerar suas células. Quantas vezes? Indefinidamente;
Lagostas: esses animais simplesmente não envelhecem. Ocorre, entretanto, que, com o passar dos anos, eles se tornam cada vez maiores... Até o momento que alguém aparece para abatê-los, a fim de que constem no menu de algum restaurante luxuoso;
Tardigradaa (ursos-d’água): trata-se aqui simplesmente de um animal capaz de sobreviver ao espaço aberto sideral. Os chamados “ursos-d’água” sobrevivem no respeitável intervalo de temperaturas de -273 °C a 100 °C. Eles também sobrevivem à radiação e podem passar até 10 anos sem alimentos — basta que contenham o seu metabolismo até que condições mais favoráveis apareçam; e
Planárias: esse vermes platelmintos podem se reproduzir tanto de forma sexuada quanto assexuada. Ah, sim, e eles simplesmente não morrem nunca — bem, não por questões naturais, pelo menos, já que suas células são constantemente regeneradas. 
Fonte: YouTube (BuzzFeed)

Velha violenta: Vídeo reforça hipótese de que idosa matou invasor em Caxias do Sul

A hipótese de que a aposentada Odete Hoffmann Prá, de 88 anos, foi a autora dos três tiros que causaram a morte de um homem que invadiu seu apartamento em Caxias do Sul, na Serra do Rio Grande do Sul, foi reforçada por um vídeo da câmera de segurança do prédio. O inquérito foi arquivado pela Justiça após pedido do Ministério Público. A cópia do vídeo foi entregue ao MP após o arquivamento.
Nas imagens, o homem aparece em frente à grade do apartamento da idosa, que fica no segundo andar do prédio, tentando deixar o local depois da invasão. Ele havia entrada pela janela do apartamento. É possível ouvir o diálogo entre os dois.
Idosa: Que tu quer?
Homem: Eu vou descer.
Idosa: O que tu quer aí?
Homem: Como é que desce?
Idosa: Hein?
Homem: Como é que desce?
Idosa: Hein?
Homem: Como é que desce?
Idosa: O quê?
Homem: Como é que desce?
(disparo é ouvido)
Idosa: Toma (outro disparo é ouvido). Toma
Homem: Deu, deu.
Idosa: Toma! Mais um (disparo é ouvido).
O invasor cai e é possível ouvir a respiração. Minutos depois, chega a Brigada Militar.
O invasor de 33 anos teria sido morto pela aposentada na noite de 9 de junho de 2012. Odete admitiu em depoimento ter matado o homem depois de ele invadir o apartamento onde ela vive sozinha, na esquina das Rua do Guia Lopes e Sinimbu. A polícia chegou a investigar a hipótese de que não foi ela a autora dos disparos, após o teste residuográfico feito na idosa não ter detectado vestígios de chumbo, bário e antimônio.
Segundo análise do Instituto-Geral de Perícias (IGP), o projétil retirado do corpo do assaltante também não teria sido disparado pela arma que Odete alega ter usado. 
O delegado Joigler Paduano havia solicitado à Justiça a exumação do cadáver do homem para a retirada de um projétil que ainda estaria no corpo. A intenção era fazer uma nova perícia com o revólver calibre 32 que Odete afirma ter disparado. O pedido, no entanto, foi negado pelo Judiciário.
Para a promotora Sílvia Regina Becker Pinto, a versão da aposentada sobre a reconstituição do crime, feita em abril passado, é compatível com o que foi apurado pela polícia.
Aposentada participou de reconstituição do crime em abril (Foto: Guilherme Pulita/RBS TV)

Casal é pego fazendo sexo no meio do campo após jogo na Dinamarca

Um casal ousado foi flagrado fazendo sexo no meio do campo após partida entre Brøndby e Randers pela Superliga Dinamarquesa de futebol, no domingo (25). O jogo terminou empatado por 0 a 0.
A dupla misteriosa entrou no gramado após os torcedores terem saído do estádio e começou a ter relações sexuais, segundo o assessor de imprensa do Brøndby, Mikkel Davidsen.
Davidsen divulgou o caso em sua conta no Twitter e logo a imagem se tornou viral na internet após ser postada por Casper Dybdal.
O ato sexual só foi interrompido depois que o segurança James Mickel Lauritsen entrou no gramado.
Casal ousado foi flagrado fazendo sexo no meio do campo após partida entre Brøndby e Randers (Foto: Reprodução/Twitter)

Cientistas dizem ter encontrado novo elemento químico

Uma equipe internacional de cientistas liderados pela Universidade de Lund, na Suécia, diz haver confirmado a existência de um novo elemento químico, segundo uma nota divulgada pela universidade.
Experimentos conduzidos no centro de pesquisa GSI, na Alemanha, reforçam as evidências de que o elemento químico de número atômico 115 foi encontrado.
Os pesquisadores dizem haver "criado" um isótopo do novo elemento, que se transformou em outras partículas por um processo radioativo, de acordo com a BBC.
Os resultados confirmam medições anteriores realizadas por um grupo de cientistas na Rússia, em 2004.
"Este experimento foi muito bem-sucedido e é um dos mais importantes na área nos últimos anos", disse o professor da divisão de física atômica da Universidade de Lund, Dirk Rudolph, segundo a nota da instituição.
Radioativo
O elemento é altamente radioativo e existe por menos de um segundo antes de decair em átomos mais leves, diz a BBC. A pesquisa foi publicada na revista científica "Physical Review Letters".
O átomo de número 115 foi proposto inicialmente por cientistas russos, em 2004. Sua existência ainda precisa ser oficialmente confirmada por órgãos oficiais que fazem medições de química e física.
O potencial novo elemento será analisado por um comitê formado por integrantes da União Internacional de Química Pura e Aplicada (Iupac) e da União Internacional de Física Pura e Aplicada (Iupap).
O comitê vai decidir se acolhe a existência do novo elemento químico ou se mais experimentos são necessários antes da confirmação. A Iupac ainda não incluiu o novo elemento químico na tabela periódica oficial mantida em seu site.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...