31 agosto 2014

Veja fotos íntimas da atriz Jennifer Lawrence

Jennifer Lawrence foi vítima de um vazamento de fotos íntimas na internet. Neste domingo, 31, fotos da atriz nua foram espalhadas pela web. O caso é parecido com o que aconteceu com a atriz Scarlet Johansson, em 2011, que também foi vítima de vazamento de fotos.
No Brasil , o caso mais famoso aconteceu com a atriz Carolina Dieckmann, que passou por episódio semelhante em 2011.
O caso da atriz motivou a criação da Lei Carolina Dieckmann. Aprovada no Congresso no fim de 2012, a lei tipifica crimes virtuais. Com a nova lei, a pessoa que invadir computadores ou dispositivos móveis, como smartphones ou tablets, com a intenção de acessar dados sigilosos sem autorização ou disseminar vírus poderá ser condenada a cumprir prisão de três meses a um ano e a pagar multa pelos delitos informáticos. A punição pode ser ampliada se houve prejuízo econômico para as vítimas.
Jennifer Lawrence (Foto: Twitter / Reprodução)
Segundo informações do site Buzzfeed, o hacker responsável pelo “vazamento” alega também ter fotos “comprometedoras” de outras celebridades, tais como Rihanna, Selena Gomez, Ariana Grande e Kim Kardashian. As imagens teriam sido conseguidas a partir de uma falha que permitia que o celular dessas famosas fossem “hackeados” através do iCloud, sistema da Apple que armazena arquivos em um ambiente virtual.
Famosa por estrelar a franquia “Jogos Vorazes”, Jennifer Lawrence viu seu nome ir para o topo dos Treding Topics mundiais – a lista dos temas mais comentados – do Twitter, por conta das polêmicas imagens. O hacker ainda garante ter vídeos explícitos da atriz.

30 agosto 2014

Trabalhador rural demitido por embriaguez será reintegrado ao emprego em Usina de Cidade Gaúcha - PR

Fonte: TST - Tribunal Superior do Trabalho
O atual nome da empresa não foi divulgado, para evitar maiores problemas.
Um trabalhador rural dispensado por justa causa após chegar embriagado ao serviço por três vezes consecutivas terá que ser reintegrado pela Usaciga – Açúcar, Álcool e Energia Elétrica. Para o ministro Walmir Oliveira da Costa, da Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho, o comportamento do empregado despertava suspeita de alcoolismo, e, por isso, a empresa deveria encaminhá-lo para diagnóstico e tratamento antes de aplicar a punição.
Como o trabalhador não compareceu à audiência inicial, as alegações da empresa sobre seu comparecimento ao serviço embriagado por três vezes foram consideradas verdadeiras (confissão ficta). A sentença entendeu ser correta a aplicação da justa causa, uma vez que nada nos autos comprovava que o trabalhador era portador de alcoolismo crônico ou que os fatos ocorreram de forma bastante espaçada. Já o Tribunal Regional do Trabalho da 9ª Região (PR) declarou nula a quebra contratual e determinou a reintegração do trabalhador ao emprego, com seu encaminhamento à Previdência Social para diagnóstico e tratamento.
A Primeira Turma do TST manteve a decisão regional e não deu provimento ao recurso da usina, que tentava manter a justa causa.  Relator do processo, o ministro Walmir Oliveira da Costa explicou que a CLT prevê a dispensa por justa causa aos empregados que apresentarem embriaguez habitual ou em serviço. Entretanto, após a classificação da dependência alcoólica pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como patologia grave, a jurisprudência cível e trabalhista passou a encarar o fato como doença grave e não como desvio de conduta.
Assim, segundo o ministro, a interpretação literal da norma celetista não é mais admitida para justificar a rescisão do contrato de trabalho antes do encaminhamento do empregado para tratamento médico. "A apresentação do empregado em estado de embriaguez habitual ou em serviço não mais enseja conduta punitiva do empregador, mas o encaminhamento para o órgão previdenciário para tratamento, culminado na concessão do benefício previdenciário, caso detectada a irreversibilidade do caso," destacou.
A decisão foi unânime.
O número do processo foi omitido para preservar a intimidade do trabalhador.
O Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou que a usina Usaciga, com sede em Cidade Gaúcha, no norte do estado, reintegre um trabalhador rural demitido por justa causa depois de chegar três vezes consecutivas embriagado ao trabalho. A decisão foi divulgada nesta terça-feira (26).
De acordo com o ministro Walmir Oliveira da Costa, da Primeira Turma do Tribunal Superior do Trabalho, o caso era de alcoolismo, e não de embriaguez — portanto, a empresa deveria encaminhá-lo para tratamento antes de mandá-lo embora.
O trabalhador não compareceu à audiência inicial, na qual o juiz entendeu que a aplicação da justa causa era correta. O Tribunal Regional do Trabalho do Paraná (TRT-PR), porém, declarou nulo o fim do contrato e determinou a recontratação do trabalhador ao emprego, além de encaminhamento à Previdência Social, para diagnóstico e tratamento.
A empresa entrou com recurso, mas o TST manteve a decisão regional e não aceitou, alegando que o alcoolismo é considerado patologia grave pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o que descaracteriza o desvio de conduta para justificar a justa causa.
"A apresentação do empregado em estado de embriaguez habitual ou em serviço não mais enseja conduta punitiva do empregador, mas o encaminhamento para o órgão previdenciário para tratamento, culminado na concessão do benefício previdenciário, caso detectada a irreversibilidade do caso," destacou o juiz.
Ao G1, o advogado da empresa, Henrique Soares, disse que a Usaciga ainda não foi comunicada formalmente sobre a decisão. Ele afirma, no entanto, que a usina respeita a decisão do TST, mas, após a publicação do acórdão, deve recorrer, já que, diz ele, não foi comprovado que o funcionário sofria de alcoolismo.

24 agosto 2014

Dicas para Alexandre Lucena e Juveni: Dez passos para atrair novas empresas para os municípios

O mercado de trabalho de hoje busca pessoas empreendedoras, que tomem decisões, dediquem seu tempo e esforço para alcançar suas metas, e ainda assumam riscos. Atualmente, o empreendedorismo é visto como uma qualidade dinâmica, que almeja aumentar a riqueza. Um bom empreendedor acredita que suas realizações dependam dele mesmo e não fica à mercê de forças externas, sobre as quais não tem controle. Mas não é ele quem coloca a "mão na massa". Seu papel é criar e delegar responsabilidades a equipes, pois consegue controlar a si mesmo e ainda influenciar o grupo, para atingir seus objetivos.
Não é a toa que, a cada eleição que passa, fala-se mais da necessidade de se ter prefeitos empreendedores. Montamos nossa equipe, assumimos riscos e tomamos decisões que podem – ou não – gerar bons resultados. Mas assumimos o risco, pois sabemos que o sucesso não ocorre sem alguma dose de incerteza. O prefeito empreendedor, quando se depara com um problema, toma a iniciativa, que nada mais é do que a capacidade de a pessoa agir, quando necessário.
Não há contradições nem diferenças entre os objetivos dos prefeitos e os dos empresários empreendedores. Aliás, o verbo empreender vem do latim imprehendo ou impraehendo, que significa "tentar executar uma tarefa". Um bom gestor público procura executar tarefas. E, como o empresário, o prefeito também deve buscar aumentar as receitas do município para, dessa maneira, poder realizar mais investimentos na cidade. Porém, diferentemente das empresas privadas, não é possível criar um novo produto ou serviço e cobrar por isso, para aumentar a receita. A solução é arrecadar mais impostos, mas sem aumentar o ônus sobre os contribuintes, que já sofrem com a cascata de tributos públicos existentes.
A solução, então, é trazer novas empresas para o município, o que também requer alguns cuidados. E, como sempre, um plano. Dez passos podem atrair mais empresas para o município:
1) Planejamento: é preciso estudar a cidade e analisar as possibilidades dos segmentos de empresas e indústrias que poderão ser atraídos. Para isso, deve-se avaliar o clima, o solo e outros fatores que te ajudarão a "vender" a cidade;
2) Infraestrutura: as empresas procuram por cidades que ofereçam a infraestrutura necessária, como tratamento de água, rede de esgoto, estradas e energia elétrica que chegam até as empresas, estação rodoviária com ônibus para a capital e outros. Caso o município ainda não ofereça tais condições, é melhor começar a investir na área para tornar a cidade atrativa no futuro. Criar distritos industriais é uma opção vista com bons olhos pelo mercado;
3) Logística: muitas empresas e indústrias escolhem aonde irão abrir suas filiais pela localização. Estar perto de aeroportos, estradas e rodovias que interligam os Estados, que passam entre grandes polos industriais ou que levam aos portos é um ponto fundamental na escolha do município pelas indústrias;
4) Mão de obra: caso a empresa precise de mão de obra qualificada, é preciso ver se a cidade terá pessoas que ofereçam esses serviços. As empresas, antes de escolherem onde abrirão novas fábricas e filiais, procuram se informar se a mão de obra da região irá atender suas necessidades. Nesse caso, é preciso se antecipar e procurar por parcerias com escolas profissionalizantes;
5) Apoio: um fator pouco analisado pelos gestores, mas considerável pelo setor de Relações Humanas das empresas é o apoio que a cidade oferece para os empresários. Analisa-se se há hotéis, hospitais, escolas, shoppings ou áreas de lazer no município ou em uma cidade ao redor. Afinal, a empresa ou indústria terá empresários que virão de outras cidades e levam isso em consideração;
6) Impostos: algumas cidades colocam o valor do ISS mais baixo que outras. Este é um fator muito importante na escolha do local, pois pode significar uma economia considerável para a empresa. É preciso ver, dentro da Lei, quais as possibilidades cabíveis que podem ser tomadas;
7) Comunicação: é preciso ter bons materiais sobre a cidade, criar folders com fotos e informações claras e explicativas, vídeos e tudo o que for necessário, pois este pode ser o primeiro contato que um possível cliente tenha com o seu "produto", e não se pode passar uma má impressão. As empresas também levarão em conta o que os veículos de comunicação estão dizendo sobre a cidade. Por isso, é importante divulgar para os jornais da cidade, da região e para quantos mais conseguir, todas as melhorias e investimentos que se faz no município. Porém, é preciso saber lidar com a situação, quando a mídia está reportando algum problema municipal. Não se pode nunca esconder as informações da mídia e deve-se informar sempre quais as providências que a Prefeitura irá tomar. A contratação de empresas especializadas pode ajudar;
8) Atenção ao mercado: é preciso estar sempre informado a respeito das tendências do mercado financeiro; saber quais os setores que estão crescendo e quais os que estão se retraindo. Aqueles que estão crescendo são os que farão os investimentos e poderão se alocar na cidade;
9) Oportunidade: o custo do transporte hoje está muito alto, o que faz com que as empresas procurem soluções para reduzi-los. Uma oportunidade que deve ser levada em conta é tentar trazer os fornecedores das empresas e indústrias que já estão alocados no município. É preciso saber quem são, do que precisam para a produção de seus produtos/serviços, e ir atrás deles;
10) Cuidar da cidade: ninguém gosta de trabalhar numa cidade visualmente feia, suja e pouco arborizada. Cada vez mais estes fatores estão sendo levados em consideração. Por isso, é necessário fazer o trabalho e cuidar da sua cidade!
Após seguir estes 10 passos, faça uma análise dos pontos fortes e fracos que o seu município oferece para cada uma das empresas que você acredita que poderá se mudar para a cidade. Nos pontos fracos, já pense nas soluções que irá tomar para melhorá-los. Não deixe que seu cliente tenha dúvidas a respeito da decisão que está para tomar. Por isso, é importante que você conheça muito bem sua cidade e seu cliente na hora em que for conversar com as indústrias.
Agora, mãos a obra e vá vender a sua cidade!
 

Usina Santa Terezinha moeu 16,1 milhões de toneladas

A safra 2013/14 da Usina Santa Terezinha trouxe bons números para o grupo formado por 9 usinas localizadas no Estado do Paraná, cujo o somatório destas unidades gerou 16,1 milhões de toneladas de cana de açúcar processadas.  As informações foram catalogadas na edição 2014 do  Anuário da Cana, que será lançado dia 26 de agosto na 22ª Fenasucro.
No total o grupo produziu 1,56 milhões de açúcar do tipo VHP, a produção açucareira do grupo foi 100% direcionada para este produto. A fabricação de biocombustível gerou 391,7 mil metros cúbicos de etanol, o tipo hidratado foi preferido pelo grupo, com 269,3 mil m³ produzidos, representando 68,76% da produção.
A Usina Tapejara, localizada na cidade paranaense de mesmo nome, através dos 48 mil hectares plantados, moeu 3,09 milhões de toneladas, sendo o destaque em moagem do grupo. A unidade detém a maior produção de açúcar e a segunda melhor em etanol, com 315,5 mil toneladas e 54,8 mil m³, respectivamente.
As nove usinas apresentaram bons números relativos à contratação de funcionários, no total foram 22,9 mil empregos, a maior parte na área agrícola, que representou 53,6% do total.
Grupo_Santa_Teresinha_Safra_201314

23 agosto 2014

Ex-morador de Cidade Gaúcha (PR) é candidato ao governo de Rondônia

O candidato ao governo de Rondônia Pimenta de Rondônia (PSOL) disse, nesta quinta-feira (21), que o estado precisa de uma nova política. A declaração foi feita durante entrevista ao Jornal de Rondônia, na primeira rodada de sabatina com os concorrentes a governador. Pimenta, que já concorreu aos cargos de senador e vereador, mas nunca foi eleito, disse que sua experiência como cidadão rondoniense há 42 é suficiente para credenciá-lo como candidato.
Disputando o pleito pela coligação formada por PSOL e PSTU, Pimenta declarou que a “velha política não deu certo em Rondônia”. “A situação de Rondônia está cada dia mais difícil e não são os partidos nem os candidatos que estão aí que vão tirar o estado do caos em que se encontra. Precisamos de uma nova política”, afirmou.
Pimenta de Rondônia diz que estado precisa de nova política (Foto: Ana Fabre/G1)
Pimenta de Rondônia diz que estado precisa de nova política (Foto: Ana Fabre/G1)
Pimenta na entrevista (Foto: Ana Fabre/G1)
Durante a entrevista, o candidato defendeu a implantação do passe livre no transporte público para os estudantes. Pimenta disse que, se eleito, pretende trazer para Rondônia o mesmo modelo utilizado no Rio Grande do Sul, onde, segundo ele, a experiência está dando certo. A iniciativa seria viabilizada por meio de compensação para as empresas e de recursos adquiridos junto ao governo federal.
Perfil
Pimenta de Rondônia, de 49 anos, nasceu em Cidade Gaúcha (PR), é casado e pai de três filhos. Comerciante, estudou mecânica diesel no Senai, depois formou-se como marinheiro mercante pela Capitania dos Portos e ainda exerceu a função de radialista. Em 2010, foi candidato ao cargo de senador e, em 2012, concorreu a uma vaga para vereador, mas não obteve a vitória em nenhuma das eleições.
Entrevistas
Os cinco candidatos ao governo do estado concederão entrevistas ao Jornal de Rondônia e ao G1, no período de 19 a 23 de agosto. Na TV, as sabatinas têm duração de 5 minutos e no G1 são 10 minutos de perguntas e respostas, além de um minuto para considerações finais. Todas as entrevistas são transmitidas ao vivo.
Cada candidato terá a oportunidade de responder perguntas relacionadas a 10 temas que serão sorteados durante a entrevista. São eles: habitação, infraestrutura, segurança, emprego e renda, saúde, gestão, educação, meio ambiente, cultura e lazer e desenvolvimento econômico.
As entrevistas serão gravadas e ficarão disponíveis no catálogo de vídeos do G1 e na página Eleições 2014 em Rondônia.

Denúncias anônimas levam à prisão de dois pescadores em Guaporema

Denúncias anônimas ajudaram a Polícia Militar Ambiental prender dois homens por pesca irregular no Rio Ivaí, em Guaporema (113km de Maringá). O flagrante ocorreu na tarde de quinta-feira (21) na localidade conhecida como "Corredeira do Ferro".
No interior do carro dos pescadores os policiais encontraram 48 quilos de peixes da espécie Curimbatás. Vários exemplares estavam em tamanhos inferiores ao permitido pela legislação, ou seja, tinham menos de 38 centímetros.
Além de terem capturado peixes com os tamanhos inferiores aos permitidos, os pescadores infringiram o Artigo 6º da Portaria 211/IAP, que estabelece cota máxima de pescado em 10 kg mais um exemplar, de tamanho permissível, a cada pescador.
Os dois homens foram presos e encaminhados à Delegacia de Cidade Gaúcha. Os peixes apreendidos foram doados para alimentação dos detentos.

21 agosto 2014

Veja o vídeo de jornalista americano sendo decapitado por extremistas islâmicos

Um vídeo postado nesta terça-feira na rede YouTube supostamente mostra um homem, identificado como o jornalista norte-americano James Wright Foley, sendo decapitado por um militante do Estado Islâmico.
Foley, um repórter fotográfico freelancer, desapareceu no noroeste da Síria em 22 de novembro de 2012. Em maio de 2013, uma reportagem da Columbia Journalism Review, da faculdade de jornalismo da Universidade Columbia, de Nova York, dizia que Foley estava sendo mantido por seus captores perto de Damasco.
O vídeo traz um texto que diz: "Obama autoriza operações militares contra o Estado Islâmico, colocando a América numa ladeira escorregadia na direção de um novo fronte da guerra contra os muçulmanos". Na imagem, filmada num deserto, Foley aparece com a cabeça raspada, as mãos amarradas às costas e vestido com uma bata cor de laranja; atrás dele está um homem armado, vestido de preto, conforme mostram imagens estáticas publicadas pelo jornal britânico Daily Mail (e disponíveis aqui).
Voltado para a câmera, o jornalista lê uma mensagem endereçada a seu irmão John, que serve na Força Aérea dos EUA. "Eu morri naquele dia, John, quando os seus colegas jogaram uma bomba nessa gente, Eles assinaram minha sentença de morte", diz Foley. O jornalista também diz: "Chamo meus amigos, família e entes queridos a erguer-se contra meus verdadeiros matadores, o governo dos EUA. Porque o que vai acontecer comigo é apenas o resultado de sua complacência e criminalidade."
Foley para de falar e seu executor dá um passo à frente, dizendo: "Vocês tramaram contra nós e saíram de seu caminho para achar motivos para interferir em nossos assuntos. Hoje, a sua força aérea militar está nos atacando diariamente no Iraque. Seus ataques causaram baixas entre os muçulmanos. Vocês já não estão combatendo uma insurgência. Somos um exército islâmico e um Estado que foi aceito por um grande número de muçulmanos em todo o mundo. Portanto, na prática, qualquer agressão ao Estado Islâmico é uma agressão aos muçulmanos de todos os ramos de atividade que aceitaram o Califado Islâmico como sua liderança. Portanto, qualquer tentativa sua, Obama, de negar aos muçulmanos seus direitos de viver em segurança sob o Califado Islâmico resultará em derramamento do sangue do seu povo."
Nesse ponto, o executor decapita o jornalista. Comentaristas citados pela Associated Press disseram que o sotaque do executor é britânico, possivelmente de Londres ou do sudeste da Inglaterra.
Depois do assassinato de Foley, o executor exibe no vídeo outro prisioneiro, também de joelhos e com as mãos amarradas às costas; uma legenda identifica o prisioneiro como Steven Joel Soltoff, um norte-americano que desapareceu na Líbia em agosto de 2013. O executor diz: "A vida deste cidadão americano, Obama, depende da sua próxima decisão."
Reuters /
Seguem as palavras do jornalistas traduzidas e o vídeo.
Apelo aos meus amigos, familiares e entes queridos a se voltar contra os meus verdadeiros assassinos: O governo dos Estados Unidos.O que está para acontecer comigo é apenas um resultado de sua complacência e criminalidade.
Uma mensagem para os meus pais, poupe-me um pouco de dignidade e não aceite alguma compensação para a minha morte das mesmas pessoas que efetivamente pregaram o último prego do meu caixão com sua recente campanha aérea no Iraque. Peço a meu irmão John, que é um membro da força aérea dos Estados Unidos, que pense no que você está fazendo, pense sobre a vida que você destrói incluindo os de sua própria família.
Peço-lhe John, pense sobre quem tomou a decisão de bombardear o Iraque recentemente e, para matar aquelas pessoas, quem quer que tenha sido, pense, John: Quem eles realmente mataram? E eles pensam sobre mim ou sobre a nossa família quando tomaram essa decisão? Eu morri naquele dia. Quando seus colegas soltaram as bombas, aquelas pessoas assinaram a minha certidão de óbito.
Eu gostaria de ter mais tempo.
Eu gostaria de ter a esperança de liberdade e ver minha família, mais uma vez, mas esse navio já partiu.
Apesar de tudo, desejaria não ser um americano.
video

19 agosto 2014

Cidade Gaúcha: Jovem é executado com tiros no quintal e mãe assiste ao crime

A polícia de Cidade Gaúcha conseguiu elucidar rapidamente um homicídio praticado por um homem na cidade. O acusado, detido pouco tempo depois do registro do fato, negou a prática, mas uma testemunha relatou que ele teria sido o autor dos disparos de arma de fogo que tiraram a vida de um jovem de 22 anos.
O crime aconteceu por volta das 22h de quinta-feira (14). Rafael de Oliveira, de 22 anos, morador na avenida Souza Naves, foi morto a tiros no quintal de casa. A vítima havia recebido Edison Aparecido Martins, de 22 anos em sua residência e, após uma discussão, Edison, que é conhecido pela alcunha de “Buni”, teria atirado. No momento do disparo, Buni estava acompanhado de outro jovem. Os dois fugiram.
A mãe do garoto alvejado, identificada apenas como Nilzete, que mora com o filho, assistiu ao crime da janela e relatou detalhes que levaram a polícia ao paradeiro do acusado.
Segundo ela, o algoz chegou à residência e chamou por Rafael, que o atendeu no quintal. Em determinado momento da discussão Rafael teria dito à Buni que não tinha dinheiro naquela ocasião, mas o teria no sábado. Foi então que Buni atirou contra ele e fugiu acompanhado do comparsa.
Com as informações repassadas pela testemunha, policiais militares de Cidade Gaúcha saíram em busca do acusado, que foi localizado e encaminhado à Delegacia, onde foi interrogado. À imprensa ele negou o envolvimento e disse que não estava no local do crime, mas permaneceu recolhido naquela ocasião à disposição da Justiça.
Fonte: Tribuna Hoje

15 agosto 2014

CINCO UNIVERSITÁRIOS ESTUPRAM MULHER EM ORGIA QUE VAI PARAR NO WHATSAPP

A Polícia Civil de São Paulo investiga se uma jovem foi vítima de estupro coletivo cometido por um grupo de universitários em São Paulo. Entre os envolvidos estão alunos da Universidade Presbiteriana Mackenzie. Ao policiais, eles negaram o estupro.
O 4º Distrito Policial, na Consolação, começou a investigação preliminar na quinta-feira (3) após investigadores serem avisados sobre trocas de mensagens pelo "WhatsApp" na qual circularam fotografias de estudantes nus e atos que poderiam configurar o estupro.
“Ainda não foi aberto inquérito, mas estamos fazendo apuração preliminar para saber se houve estupro ou atentado à honra e à imagem”, disse o delegado José Gonzaga Marques, delegado titular do 4º DP, nesta sexta-feira (4) ao site.
As imagens trocadas pelo aplicativo mostram cinco homens e uma mulher, que não exibe o rosto, aparentemente durante e após a relação sexual. Nas conversas trocadas pelo celular, uma mulher combina o encontro com um grupo de rapazes. A jovem que aparece nas fotos e nas mensagens do "Whatsapp" seriam a mesma pessoa.
De acordo com os investigadores, o advogado dos suspeitos esteve na delegacia e disse que o caso ocorreu há dois meses. Ainda segundo o advogado, a jovem estaria agora em intercâmbio na Croácia.
Policiais também estiveram no Mackenzie e localizaram os cinco rapazes, que, em conversa informal com os investigadores, se defenderam da suspeita de estupro, negaram ter violentado a mulher e alegaram que o sexo foi consensual. Eles, no entanto, deverão comparecer na tarde desta sexta-feira (4) à delegacia para prestarem esclarecimentos.
Segundo delegado, a mulher ainda não foi identificada e nem localizada. “Dizem que a vítima está fora do país”, afirmou Gonzaga Marques. “Sinceramente, parece ser uma farra, uma orgia. Não parece que foi agredida, mas não parece que está anuente [de acordo]”.
De acordo com José William, investigador do plantão do 4º DP, apesar de trabalhar com a hipótese de sexo consensual, a investigação irá apurar se a mulher teria sido embriagada. “Por enquanto a informação que temos é que foi um ato consensual, que não foi um estupro, mas vamos continuar a investigação”, disse.
De acordo com a investigação, a mulher que aparece nas fotos e nas mensagens ainda foi identificada. Quando isso ocorrer, ela terá de ser localizada para prestar esclarecimentos na delegacia.
Procurada para comentar o assunto, a assessoria de imprensa do Mackenzie informou que repudia “toda e qualquer violência contra a figura humana”. "Diante da gravidade do que foi veiculado na Internet, esperamos das autoridades, em todos os níveis, as medidas cabíveis. Estaremos prontos a colaborar na apuração do fato", informou a universidade.
"Repudiamos, por fundamentos de respeito religioso, legal e moral, toda e qualquer violência contra a figura humana", apontou a universidade em nota.

13 agosto 2014

Jato cai em Santos, no litoral paulista, e mata Eduardo Campos

Um jato particular caiu em Santos, no litoral de São Paulo, e atingiu casas por volta das 10h desta quarta-feira. Na aeronave, estava o candidato à presidência da República pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB) e ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos que morreu no acidente. 
Um assessor do político, um cinegrafista, um fotógrafo e os dois pilotos da aeronave também estavam na aeronave e morreram no acidente. A candidata a vice, Marina Silva, a mulher e o filho do presidenciável não estavam no jato — que pertencia à empresa Af Andrade Empreendimentos e Participações Ltda. Quatro pessoas ainda ficaram feridas no acidente, conforme a prefeitura de Santos.
"O avião caiu de bico, a uns 65 graus", relata morador de Santos Tassio Ricardo/Arquivo Pessoal
Integrantes da campanha de Campos se dividiram nesta quarta-feira em duas aeronaves: parte viajou ao Recife e o restante a Santos — e Eduardo Campos estava no jato em direção à cidade paulista. O presidenciável estaria se deslocando para um evento no Guarujá. Na noite de terça-feira, ele concedeu entrevista ao Jornal Nacional.
Ainda de acordo com o Comando da Aeronáutica, a aeronave é um Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, que decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino ao Aeroporto de Guarujá (SP). Quando se preparava para pouso, o avião arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com a aeronave.
O deputado federal pelo PSB no Rio Grande do Sul Beto Albuquerque recebeu a notícia da morte de Eduardo Campos em um evento na Federasul. Abalado, o parlamentar preferiu não comentar o assunto até o momento. Ele se desloca para São Paulo ainda nesta quarta-feira.
A Aeronáutica informou que já começou as investigações para apurar os fatores que possam ter contribuído para o acidente. Viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, da Polícia Militar e dos bombeiros atenderam ao acidente. O analista de logística ferroviária Tássio Ricardo Cardozo Silva, 25 anos, presenciou o exato momento em que o jato caiu. Eram 10h02min, segundo Tássio, quando a aeronave "caiu de bico".
— Eu trabalho a 300 metros do local e vi o avião caindo a uns 65 graus, de bico. Minha mesa fica de frente para a janela e presenciei a aeronave desabando. Fiquei sem reação, depois caí na real. Teve explosão e muita fumaça. Os socorristas chegaram rápido — disse.
Jato cai em Santos, no litoral paulista, e mata Eduardo Campos Ricardo Nogueira/AFP

Médicos postam na web fotos de pacientes durante cirurgias no DF

O G1 teve acesso a quatro fotos. A primeira delas mostra os olhos ainda inchados de um paciente que passou por uma blefaroplastia – cirurgia para correção de deformidades nas pálpebras. A publicação ocorreu no dia 5 de abril de 2013 e foi feita por uma oftalmologista. Na legenda, a mulher dá a entender que foi a primeira vez que realizou o procedimento sozinha. Outras postagens no perfil da profissional no Instagram também trazem fotos no ambiente de trabalho.
A segunda imagem mostra uma médica durante uma exérese de pterígio – procedimento para retirar uma membrana de cor rosada que cresce invadindo a córnea. A postagem aparenta ter sido feita por uma então residente que assistia à cirurgia, no dia 14 de maio deste ano. Não é possível ver o rosto do paciente, mas a foto mostra as ferramentas usadas pelo oftalmologista no olho da pessoa. A jovem também tem outras imagens do ambiente hospitalar no perfil.
Na primeira imagem, oftalmologista faz cirurgia para retirada de membrana de olho em Brasília; na segunda, paciente está com os olhos ainda inchados após plástica nas pálpebras (Foto: Instagram/Reprodução)
O terceiro e o quarto registro são de selfies. Um deles mostra dois rapazes e uma moça, com a legenda "Carnaval no hospital fica até melhor com boa companhia". O outro tem a hashtag #cirurgia e traz um rapaz de touca, máscara e uniforme aparentemente cirúrgico. "Bom dia. Vamos trabalhar e agradecer a Deus", escreveu o rapaz, no dia 6 de junho de 2013. Esta não foi a única publicação na web em que ele aparecia com as mesmas vestimentas.
A direção do hospital disse reprovar a exposição de pacientes ou procedimentos médicos em mídias sociais. Atualmente, a instituição tem 353 médicos e 91 residentes. Desses, dez são oftalmologistas e seis se especializam na área. A entidade afirmou que vai divulgar, por meio de um memorando interno, que eles evitem situações do tipo.
Professora de administração da Universidade de Brasília, a especialista em mercado de trabalho Débora Barem disse que é necessário que as pessoas tenham bom senso para evitar exposições e futuras dores de cabeças desnecessárias. O cuidado deve ser adotado por todos os profissionais, independentemente da área de atuação.
"Não sou contrária ao 'selfie', mas, em ambientes de trabalho, temos que pensar nas consequências daquilo que a gente faz. Usar o celular para uma foto, seja para o que for, mesmo que rapidinho, coloca a nossa ou a segurança dos outros em risco?", questiona. "No caso da medicina, você está lidando com gente. Tirar fotos sem autorização da pessoa é algo que pode até não ser caracterizado como ilegal, mas é imoral. Isso tem que ficar claro na cabeça das pessoas."
Para a professora, há uma exacerbação da auto-exposição a partir da popularização das redes sociais. Ela diz considerar o uso das ferramentas como saudável e inerente à sociedade atual, mas acredita que as pessoas estejam encontrando dificuldades para separar o que pertence à esfera pessoal e à profissional.
"Recentemente a gente teve aquela moça das fotos nuas no Parlamento [suíço], por exemplo. Como é uma coisa nova, as pessoas ainda não têm muita noção de como se colocar. O que é errado? O que pode? A gente precisa fazer essa análise, porque ninguém perde se adota cautela. Não se pode expor dados da empresa ou expor a empresa, de forma geral, afinal você está lá exercendo um trabalho", ponderou a especialista.
"Hoje em dia, o médico não é mais obrigado a pôr o CID [classificação internacional de doenças] no atestado porque o paciente tem direito a não se expor. Agora, imagina você que não quer se expor descobrindo no Facebook um 'selfie' seu com o médico. Isso dá problema. Se fosse comigo, se eu me sentisse lesada, eu com certeza iria atrás [e entraria na Justiça]", completou Débora. "Vamos continuar com a liberdade, mas com uma liberdade responsável."
O G1 procurou os conselhos Regional e Federal de Medicina por meio da assessoria de imprensa para comentar o caso, mas não obteve retorno até esta publicação. A reportagem também ligou para o celular da presidente da entidade, Martha Helena Zappalá, que não atendeu a ligação.

09 agosto 2014

Policiais da Rotam são acusados de agressão contra presos de Cidade Gaúcha

O promotor de justiça da Comarca de Cidade Gaúcha, Wilson Tomé Tropiani, pediu para a Polícia Civil da cidade investigar a denúncia de agressão que teria sido praticada  por policiais militares da Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam), do 7º Batalhão da Polícia Militar (7º BPM),  com sede em Cruzeiro do Oeste, contra presos da cadeia local durante uma rebelião ocorrida na sexta-feira passada. Uma série de fotografias mostrando alguns presos feridos foi encaminhada ontem ao promotor e ele informou que até hoje vai visitar a cadeia para verificar a situação.
A denúncia chegou ao conhecimento do Ministério Público durante uma audiência com o detento Rafael Tiago Rocha da Silva, 27 anos, que responde a processo sob acusação de furto. Ele foi levado ao fórum para acareação no inquérito que já responde, na qual também estavam alguns policiais e quando houve o encontro o preso passou a acusar os PMs de agressão.  Segundo o promotor, durante a audiência o preso exibiu alguns ferimentos e disse que ele e alguns colegas foram agredidos fisicamente na cadeia. A identificação dos policiais ainda está sendo levantada. O promotor também disse que até nesta quarta-feira à tarde não recebeu outras queixas.
As agressões teriam ocorrido quando a Rotam entrou na cadeia para conter um princípio de rebelião. Os presos disseram que o protesto na cadeia começou porque um dos investigadores demorou para atender ao chamado deles. Então eles retiraram os cadeados, abriram as celas e ficaram nos corredores.  A movimentação durou menos de três horas e foi controlada com a chegada da Rotam. A cadeia tem capacidade para 12 presos, mas abriga 38, segundo a Polícia Civil. 
O comandante do 7º BPM, Carmelito Santos, disse ao Ilustrado que os policiais da Rotam negam a acusação, houver indícios fortes, uma investigação interna também será feita para apurar o caso.
A Polícia Civil diz que o inquérito já foi aberto, mas ninguém foi intimado para depor ainda. O delegado Jairo dos Santos atende nove cidades da região e não falou sobre o caso por telefone.



08 agosto 2014

Menina de 13 anos já fez sexo com mais de 100 homens

Em 2012, a polícia do município de Brejo Santo, região do Cariri, prendeu quatro pessoas acusadas de explorar sexualmente uma garota de treze anos de idade. O caso choca até hoje.
O flagrante foi realizado no momento em que eles combinavam o valor do programa, que seria de R$50,00. A menina era abusada sexualmente desde os dez anos.
Em entrevista, a garota afirmou que já praticou sexo com mais de 100 homens e que começou a se prostituir influenciada pela própria mãe. “Ela colocava uns filmes pornôs para eu assistir. Assistia eu, ela e meu irmão”.
Confira o depoimento a reportagem exibida no Barra Pesada:
video

06 agosto 2014

Colisão de carro e caminhão canavieiro mata motorista na PR-492 em Rondon

Uma colisão de um carro e um caminhão canavieiro matou um motorista de 56 anos no início da noite de terça-feira (5) na PR-492 em Rondon (a 117 quilômetros de Maringá).
Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) de Cidade Gaúcha (a 140 quilômetros de Maringá), o acidente ocorreu por volta das 18h45, no quilômetro 45 da rodovia, a poucos quilômetros da Usina Santa Terezinha. O Volkswagen Santana de placa de Nova Esperança seguia no sentido Rondon a Paraíso do Norte (a 86 quilômetros de Maringá) quando abalroou longitudinalmente com um Volvo FH12 380 conjugado que trafegava no sentido contrário.
O motorista do Santana, J.L.S.N., de 56 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O corpo dele, que era morador de Nova Esperança (a 42 quilômetros de Maringá), foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Umuarama (a 172 quilômetros de Maringá).
A pista ficou totalmente interditada até por volta das 22h30, quando o tráfego foi liberado parcialmente. A liberação total da via ocorreu apenas por volta da 0h.

Fonte: Horadanotícia.com

03 agosto 2014

Plus size posta foto de lingerie e recebe comentários gordofóbicos

A plus size de São José do Rio Preto (SP) Evelise Nascimento, de 24 anos, encarou o trabalho como modelo de lingerie com naturalidade. Trabalhando na área há quase dois anos, já venceu concursos de beleza GG e faz diversos trabalhos de moda. O que não poderia prever é que, ao postar na internet as fotos de um desses ensaios, no início deste mês, seria alvo de ciberbullying e comentários gordofóbicos.
Modelo se envolveu em polêmica ao postar foto de lingerie (Foto: Arquivo Pessoal)
Segundo ela, tudo começou com um recado anônimo. Nele, a mulher dizia: “me diga, se você visse fotos de meninas de calcinha e sutiã acharia normal? Não acho legal meus filhos vendo fotos de meninas magrinhas, também não os quero vendo de cheinhas. A sociedade é assim, por mais que você tente mudá-la é quase uma luta perdida". As fotos citadas eram de bastidores de um ensaio fotográfico para um catálogo de cunho comercial, sem nenhum apelo sexual. O comentário gerou revolta ao ser compartilhado por ela em seu perfil na internet, como forma de protesto.
Quando leu o comentário, Evelise não se importou, mas ao perceber o preconceito disfarçado, logo copiou o comentário e postou em sua página para “declarar guerra” ao preconceito. “Uma pessoa anônima dizendo que ver fotos de mulheres cheinhas de calcinha e sutiã não é normal? Ela nunca viu um catálogo de lingeries por acaso? Não são sensuais, apenas são fotos de roupas de baixo. Mas depois percebi que era o preconceito disfarçado de "cuidado com os filhos". A frase que ela escreveu no final me fez pensar nessa tal sociedade preconceituosa que ela faz parte. Estou fora do "padrão Gisele de ser", represento as mulheres que sofrem diariamente preconceito por se aceitarem ser gordinhas”, comenta a modelo.
Para Evelise, esta foi uma forma de manifestar a gordofobia, termo usado para indicar pessoas que tem preconceitos com pessoas acima do peso. “Fotografar com lingerie mesmo tendo um corpo avantajado é o que realmente muitos acham loucura, mas digo que fotografar só de calcinha e sutiã ė uma arte, exige muito do profissional, para buscar o melhor ângulo e também da modelo, para ter o equilíbrio entre o sensual e o vulgar. Nunca fui vulgar. Se alguém julgar assim, está sendo preconceituoso”, diz Evelise.
Outro comentário veio de um rapaz que disse: “desfiles de mulheres plus size nada mais é do que celulites ambulantes". “Quando eu namorava, já ouvi dizerem "o que será que esse cara tá fazendo com essa gorda?”. Outra enviou um recado a um ex dizendo “tá namorando uma plus size, é?”, mas falando de maneira grosseira. Não entendo como pode existir tanta gente preconceituosa", conta a modelo, que aproveitou o manifesto #lingerieday, na última quinta-feira (31), para reforçar a campanha de aceitação. "Temos que aceitar o corpo que temos e se preocupar mais com saúde do que com beleza. Se somos gordinhas, mas somos saudáveis, não tem porque recebermos tantas ofensas", finaliza.
Foto fazia parte de trabalho realizado por ela para catálogo (Foto: Arquivo Pessoal)
Gordofobia
"Você tem um rosto tão lindo, nunca pensou em emagrecer?", "Você não pensa futuramente, pode problemas devido seu tamanho?". Para pessoas acima do peso, essas são frases típicas de gordofobia, mascarada como “preocupação com a saúde”. O incomodo das pessoas é causado pela aceitação do corpo das consideradas plus size. “Hoje essas críticas preconceituosas não me abalam. Recebo mensagens de carinho, de jovens que estão ou saíram de depressões por não aceitaram o corpo e que quando se deparam com alguma foto minha e percebem que podem ser bonitas apesar de gordinhas. Temos que vencer o preconceito externo e aceitarmos nossos corpos”, explica Evelise.
Para a psicóloga Etienne Janiake, a gordofobia é consequência da “ditadura da beleza” que vivemos atualmente. “Ela associa o belo a um ideal de magreza muitas vezes inatingível e não necessariamente saudável. Para atingir esse padrão imposto, muitas vezes os jovens se submetem a sacrifícios em prol do “corpo ideal” e o fato de ter pessoas que, por opção ou por imposições circunstanciais, não seguem esse padrão e estão acima do peso aceitável, incomoda”.
Para a especialista, a gordofobia se deve tanto a não aceitação do diferente, quanto à dificuldade de conceber que é possível optar por não seguir os padrões socialmente valorizados de corpo e de beleza. “É necessário que a pessoa compreenda que existe um padrão de beleza culturalmente construído, que se modifica conforme a época e local. Esse padrão, idealizado e distante da maioria das pessoas, desconsidera a diversidade natural da beleza humana, impondo certas características que não se adéquam a todas as pessoas. Viver se comparando e procurando atingir esse ideal de beleza imposto, muitas vezes acaba funcionando no sentido contrário, abafando a real beleza que vem do estar bem consigo mesmo, de ter uma boa auto-estima, e da valorização e livre expressão das diferenças individuais que faz de cada ser humano único, especial e belo”, orienta Etienne.

02 agosto 2014

Veja imagens do menino sem o braço, que foi atacado por tigre em Cascavel- PR

Um menino de 11 anos perdeu o braço direito depois de ser atacado por um tigre em um zoológico de Cascavel, no Paraná. O garoto, que estava acompanhado do pai, entrou em uma área que é proibida para os visitantes e ficou brincando com as feras. Primeiro, ele brincou com um leão e depois com um tigre, que dilacerou seu braço.
As imagens feitas por visitantes do zoológico mostram a criança muito perto da jaula do leão. O garoto se arriscou, colocou a mão entre as grades e ofereceu comida para o animal. Ele também brincou com o tigre, subiu nas grades e correu de um lado para o outro. Depois, ele passou a mão no animal sem demonstrar medo. Pouco depois, foi atacado pelo tigre.
O garoto estava em uma área proibida para visitantes. Ele pulou o cercado feito justamente pra evitar a aproximação das pessoas. Nove guardas municipais fazem a segurança do zoológico, mas segundo testemunhas nenhum deles estava por perto na hora em que o garoto foi atacado pelo tigre. “Se for uma atitude errada do guarda, nós tomaremos as medidas cabíveis”, afirma Lauri Dall´Agnol, chefe da Guarda Municipal.
O menino estava com o pai e o irmão mais novo, de três anos. Integrantes da equipe de cuidadores do zoológico disseram que a criança foi incentivada pelo próprio pai a correr em volta da jaula, dentro da grade de proteção, provocando o animal.
O pai do menino foi detido porque permitiu que o garoto chegasse perto da jaula. Segundo a polícia, o pai disse que estava cuidando do caçula e não viu quando o outro filho se aproximou da jaula do tigre. ”Nós precisamos ouvir todas as pessoas para saber as reais circunstâncias e poder delimitar precisamente quais serão os responsáveis criminais”, explica o delegado Denis Zorteia Merino.
CENAS FORTES: Veja as fotos do braço do garoto que foi atacado por um tigre em Cascavel-PR
Depois de prestar depoimento, o pai foi liberado para acompanhar o filho no hospital. O braço do menino foi amputado na altura do ombro. Ele está internado em observação e não tem previsão de alta.
O tigre foi levado para uma área isolada e está em observação. O felino tem três anos, chegou a Cascavel com oito meses e foi criado em cativeiro. O zoológico tem oito felinos e esse foi o primeiro ataque a um visitante em 40 anos.
Segundo o médico veterinário do zoológico, Valmor Passos, o ataque foi um comportamento natural do animal, que demonstrou irritação com a presença do garoto. ”O fato do menino ficar correndo em frente a jaula, para o animal, aquilo era uma presa para ele. Inadvertidamente, por falta da orientação do pai, esse menino lançou o braço para dentro da jaula”.
Da grade de proteção até a jaula, tem um metro e meio. Placas avisam que é proibido cruzar esse espaço. O zoológico estuda subir a grade e também fazer campanhas de educação ambiental para evitar o comportamento inadequado de visitantes.
CENAS FORTES: Veja as fotos do braço do garoto que foi atacado por um tigre em Cascavel-PR
CENAS FORTES: Veja as fotos do braço do garoto que foi atacado por um tigre em Cascavel-PR
FOTOS
Hoje pela manhã fotos do garoto sendo atendido, foram divulgadas em redes sociais. Ele foi anestesiado e teve o que sobrou do braço amputado.
O VILHENA NOTÍCIAS divulga algumas dessas fotos com o intuito de alertar os pais e ate mesmo as crianças quanto aos cuidados necessários em relação aos animais selvagens, em especial aqueles que são criados em cativeiro.

Casal australiano abandona bebê com síndrome de Down na Tailândia

Um casal australiano que contratou uma mãe de aluguel na Tailândia abandonou um dos bebês gêmeos porque ele tinha síndrome de Down, noticiaram jornais australianos e ingleses nesta sexta-feira (1º). Gammy, que agora tem seis meses, tem também uma doença congênita no coração, e uma campanha está levantando fundos para ajudar sua jovem mãe a pagar pela cirurgia em Bangcoc.
Segundo o jornal "Sydney Morning Herald", a mãe, Pattharamon Janbua, de 21 anos, recebeu US$ 11,7 mil para ser barriga de aluguel para um casal australiano que não podia ter filhos. "Eu perguntei para o agente se tinha que dormir com o homem. Eu era uma menina inocente e não conhecia nada sobre esse negócio", disse ela.
Casal australiano pediu para a mãe de aluguel fazer um aborto (Foto: Reprodução/Gofundme)
Janbua disse que três meses após ter recebido o óvulo fecundado, ela descobriu que teria gêmeos. O agente ofereceu a ela US$ 1673 a mais pelo segundo bebê. No mês seguinte, após fazer exames de rotina, os médicos detectaram a síndrome de Down. Os pais australianos foram avisados e disseram que não queriam ficar com o bebê, segundo uma fonte ligada à família.
"Eles me disseram para abortar, mas eu não queria pois tenho medo do pecado", disse a jovem tailandesa, que é budista. Quando os bebês nasceram, o agente levou a menina e deixou o irmão com Down. A jovem nunca viu o casal. Ela disse que o agente não pagou US$ 2.341 do montante acordado.
"Eu gostaria de dizer para as tailandesas: não entrem no negócio de mãe de aluguel. Não pensem só no dinheiro. Se algo dá errado ninguém vai nos ajudar e o bebê será abandonado e aí nós teremos que assumir a responsabilidade", disse Janbua ao jornal. De acordo com a reportagem, a lei tailandesa só permite a barriga de aluguel caso uma familiar o faça de livre e espontânea vontade.
Uma campanha no site de financiamento coletivo Gofundme visa arrecadar US$ 150 mil para a mãe - em dez dias, mais de 2 mil pessoas já doaram US$ 102 mil.
Foto do pequeno Gammy no dite de financiamento coletivo 'Gofundme' (Foto: Reprodução/Gofundme)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...